Ultimas Notícias
Página Inicial / DESTAQUE / Programa ‘Direção Viva’ orienta motoristas em ação em rodovia de Ananindeua (PA)

Programa ‘Direção Viva’ orienta motoristas em ação em rodovia de Ananindeua (PA)

O programa ‘Direção Viva’ levou ação de conscientização aos condutores e pedestres que passaram pela rodovia BR-316, na Região Metropolitana de Belém (PA), rumo aos balneários do interior do Pará, nesta sexta-feira, 14/7. Colaboradores e residentes multiprofissionais do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) uniram esforços para falar da importância do uso de equipamentos de segurança e direção segura.

Caracterizados com maquiagens que simularam fraturas expostas e outras lesões causadas por acidentes de trânsito, o grupo chamou a atenção de quem passou pela rodovia. A caracterização foi preparada pela residente de Enfermagem, Érica Borges. Itens do dia-a-dia como farinha de trigo, cola branca e açúcar foram usados na mistura que resultou em lesões realistas nos braços e na face dos colaboradores e residentes.

Colaborador do setor de Higienização e Limpeza, Romilson da Conceição, chamou a atenção dos populares com uma maquiagem que simulava lesões na face decorrentes de acidente de carro. Para o profissional, participar da ação foi uma forma de levar educação a quem está no trânsito. ‘Acho muito importante mostrar aos motoristas que eles têm que ser prudentes no trânsito’, disse.

A maquiagem elaborada pela residente de Enfermagem também impressionou condutores como o motorista de ônibus, Helianai Alfaia Cruz. O pai do condutor chegou a ficar cinco meses internado no HMUE após sofrer um acidente de motocicleta.

O episódio deixou no motorista a certeza de que a prudência pode evitar sequelas que podem vir a acompanhar o acidentado para o resto da vida. “Nos meses que meu pai passou no Metropolitano acompanhei de perto a rotina de uma pessoa acidentada. Essa ação me chamou atenção para o cuidado que nós devemos ter no trânsito”, destacou.

O acidente deixou em Helianai a certeza de que a prudência é a melhor forma de evitar episódios que podem resultar em sequelas permanentes. A experiência de acompanhar a internação do pai despertou nele a consciência de que o trânsito precisa ser encarado com seriedade.

Helianai crê que distrações como o uso do telefone celular ajudam a aumentar o número de acidentes de trânsito. Motorista da linha Mário Couto – Pedro Álvares Cabral, o condutor disse que aboliu o uso do celular enquanto dirige. ‘Eu me policio e não atendo o telefone. Faço a minha parte’, disse.

Ex-secretário de Saúde Pública do Estado e atual coordenador do Comitê Estadual de Prevenção da Mortalidade Materna e Infantil, Hélio Franco,  disse que o trânsito deve ser responsabilidade de todos. “Muita gente acha que o trânsito é só responsabilidade de órgãos como o Detran. Não é, é de responsabilidade de cada cidadão. Os hospitais sofrem as consequências porque estamos tratando de acidentes que são evitáveis”, afirmou.

Na visão do ex-secretário, ações como o programa “Direção Viva” são importantes para sensibilizar as pessoas para a ideia de que o trânsito não é uma briga. “As pessoas saem de casa e dizem que vão enfrentar o trânsito. Enfrentar é briga. Temos que cooperar, participar do trânsito”. Franco também destacou o papel da educação para o trânsito na formação de futuros condutores e pedestres. “O próximo condutor e o futuro pedestre precisam aprender desde pequenos a ter um comportamento social responsável. É disso que precisamos”, falou.

A diretora Clínica do HMUE, Amanda Moraes, também destacou a prudência na hora de dirigir. “Mostramos aos condutores as sequelas de um acidente de trânsito. A intenção é mostrar às pessoas a importância de dirigir com responsabilidade”, afirmou.

Para a coordenadora de Projetos Sociais do HMUE, Roberta Cardins, ao utilizar colaboradores e residentes caracterizados, o “Direção Viva” mostra à comunidade a importância da valorização da saúde. “A caracterização chamou a atenção dos condutores por ser a representação do tipo de lesão que atendemos no Hospital Metropolitano. É muito importante que as pessoas percebam a quão valiosa é sua saúde e seu corpo. Que tenham em mente que estão indo se divertir nas férias, mas que não esqueçam do quanto é importante ter prudência”, refletiu.

Direção Viva

O programa “Direção Viva” é desenvolvido no Hospital Metropolitano desde novembro de 2016. Criado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, o programa quer conscientizar cada vez mais pessoas sobre as sequelas oriundas dos traumas causados por acidentes de trânsito. Realizado de maneira contínua, o ‘Direção Viva’ envolve profissionais de diversas especialidades, discutindo esse tema sob ângulos distintos.

De acordo com o diretor Operacional da Pró-Saúde, Paulo Czrnhak, que coordena as atividades do “Direção Viva” no Pará, a educação para o trânsito é primordial para a redução de acidentes. “Sensibilizar os cidadãos de que a sua atitude consciente no trânsito é a única forma de prevenir acidentes é dever de todos nós. Por isso, nós da Pró-Saúde desenvolvemos esse programa no Pará, para assim, contribuirmos, de forma continua nesta luta que é da sociedade. Apenas assim, as famílias poderão viver com qualidade de vida e segurança”, declarou.

Czrnhak comentoua ainda que o programa “Direção Viva” vai além de sensibilizar os condutores. “Estamos fomentando uma cultura, na qual as crianças possam ser os fiscais dos pais no trânsito. Nossa expectativa será de uma geração consciente e sensível no respeito ao trânsito e com isso, recuperar o valor que tem a vida, para que ela possa ser preservada”, esclareceu o diretor.

Atendimentos

Entre os meses de janeiro e junho de 2017, o Hospital Metropolitano atendeu 2.134 pacientes vítimas de acidentes de trânsito. Desses, 853 atendimentos decorreram de acidentes de motocicletas – o que corresponde a 40% do total registrado no período. As colisões foram a causa de 786 atendimentos. Os atropelamentos somaram 399 ocorrências. Além disso, 96 atendimentos estavam ligados a acidentes com bicicletas.

Compartilhe: