Ultimas Notícias
Página Inicial / Home / Giovanni Queiroz diz, em palestra com produtores rurais, que a saída para diminuir a pobreza está no campo

Giovanni Queiroz diz, em palestra com produtores rurais, que a saída para diminuir a pobreza está no campo

Na noite de ontem, sexta-feira, 4, o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca, Giovanni Queiroz, esteve em Marabá, quando se reuniu com pequenos, médios e grandes produtores rurais. Na companhia do vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim), Eugênio Alegretti, do presidente do Sindicato Rural de Marabá, Antônio Vieira Caetano, e do gerente do Basa em Nova Ipixuna, Rodrigo Oliveira, ele falou sobre as possibilidades de crescimento que o Estado e os bancos de fomento estão oferecendo ao produtor e sobre como chegar até elas.

O titular da Sedap também deu explicações sobre a Lei 13.340/2016, que autoriza rebate para liquidação, até 29 de dezembro de 2017, das operações de crédito rural referentes a um ou mais financiamento do mesmo mutuário, contratadas até 31 de dezembro de 2011.

O secretário iniciou a reunião alertando os produtores que Basa e Banco do Brasil têm em caixa um bilhão de reais para investimentos na agricultura este ano, mas estão faltando projetos. Ou seja, até o momento a procura por financiamentos tem sido pouca.

Giovanni lembrou que o setor rural é o único que está alavancando a economia do País neste tempo de crise e fazendo a diferença na balança comercial. Destacou que as terras do Pará são privilegiadas para a produção rural, pois aqui tem bom solo, clima apropriado para a maioria das culturas e não há geadas, estiagem nem outros fenômenos climáticos que estragam a lavoura.

“A produção rural diminui as desigualdades regionais e sociais, estamos no melhor Estado do Brasil para produzir e isso é a razão pela qual pessoas de outras partes do País vêm para cá”, argumentou ele.

Queiroz ressaltou ainda que a grande maioria dos produtos agrícolas consumidos no Pará vem de fora, de outros Estados, a até 3 mil km de distância, e com peço alto por causa do frete e impostos, quando temos condições de produzir no território paraense, minimizando os preços e gerando emprego e renda.

“Hoje 30% dos brasileiros vivem abaixo da linha da pobreza, com renda individual de menos de R$ 152,00 por mês e outros na extrema pobreza, com R$ 72,60. Então, é com a produção agrícola que vamos minimizar esses números”, disse o secretário.

Ele lembrou, entretanto, que para produzir não basta só plantar, é preciso fazê-lo com qualidade, por isso, buscou a parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), para que os técnicos daquele órgão possam estar presentes no campo, orientando o agricultor na hora de plantar ou na produção de gado leiteiro.

Giovanni disse que encontrou o órgão sucateado e seus técnicos desestimulados, mas, como aval do governo, criou ali um plano de recompensa por meritocracia, pelo qual, cada técnico ou equipe técnica tem ganhos no salário na execução e no sucesso de cada projeto e também caso o produtor esteja adimplente com os financiamentos recebidos. E informou também que está melhorando o aparelhamento da Emater.

No decorrer da reunião, o secretário ouviu diversos questionamentos, esclareceu dúvidas e respondeu a pedidos de orientação de agricultores, sindicalistas, presidentes de associações, líderes rurais e técnicos. Também ouviu muitas queixas e anotou tudo para buscar soluções.

Antônio Caetano, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, por seu turno, disse que hoje a entidade está muito mais aberta aos pequenos produtores que ali podem buscar orientação e apoio.

Virgilino Camargo, representante regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), também presente na reunião, afirmou que o órgão tem muitos cursos a oferecer aos produtores a fim de ajudar na qualificação e, consequentemente, na melhoria da produção.

Eugênio Alegretti, vice-presidente da Acim, agradeceu a presença de Giovanni Queiroz e das demais pessoas envolvidas na palestra, assim como dos produtores que compareceram. Disse que a Associação Comercial estará sempre de portas abertas e eventos que possam incentivar a geração de emprego e renda a fim de promover a melhoria de vida nas pessoas.