Ultimas Notícias
Página Inicial / Home / Orçada em R$ 563 milhões, derrocagem do Pedral do Lourenção começa no início de 2020 e termina em outubro de 2022

Orçada em R$ 563 milhões, derrocagem do Pedral do Lourenção começa no início de 2020 e termina em outubro de 2022

Conforme cronograma divulgado ontem, quinta-feira, 3, pelo Dnit, na Câmara Municipal de Marabá, as obras da derrocagem do Pedral do Lourenção começam em 2020 com previsão de término para outubro de 2022. São 40 km de rochas a serem removidas pela DTA Engenharia, vencedora da licitação, cujo valor inicial era de R$ 520 milhões, mas que já foi reajustado e hoje é de R$ 563 milhões. A derrocagem possibilitará a navegação, num trecho de 500 km, de comboios de embarcações de até 200 metros de comprimento por 32 metros de largura e 2 metros de calado. A projeção é de que, em 2025 já estejam sendo escoadas, pela hidrovia, 20 milhões de toneladas de carga, por ano, gerando empregos e aumentando a arrecadação de Marabá e Itupiranga.

A apresentação do projeto de derrocagem foi feito pelo engenheiro André Bernardes, coordenador de Obras Hidroviárias do Dnit e, de acordo com o cronograma, a obra já passou pelas seguintes fases: Emissão da Ordem de Serviço, em junho de 2016; e o Levantamento de Dados de Projeto, em julho último.

As etapas seguintes são: Projeto Básico, com previsão de conclusão para dezembro deste ano; Projeto Executivo, julho de 2018; Estudo de Impacto Ambiental, setembro de 2018; Emissão de Licença Prévia, julho de 2019, Emissão de Licença de Instalação, dezembro de 2019; Início da Obra; 2020; e Conclusão da Obra, outubro de 2022.

André explicou que a demora se dá principalmente pela peculiaridade da obra, talvez a única desse tipo no País, onde serão derrocadas rochas no Rio Tocantins, obedecendo a uma série de critérios de engenharia, ambientais e de navegabilidade, estes, inclusive, inspecionados pela Marinha do Brasil.

A exposição foi solicitada pela Câmara Municipal, cujos vereadores formaram uma comissão de acompanhamento de todos os empreendimentos que estão se desenvolvendo na cidade ou que vão chegar ao município.

Para o vereador Pedro Correa Lima, presidente do Poder Legislativo, as informações preencheram as expectativas dos vereadores, que cobrados diariamente pela população, agora terão informações atualizadas para repassar, evitando assim que a comunidade sofra com falsas expectativas.

Além dos vereadores da comissão, participaram engenheiros do Dnit vindos de Brasília (DF), engenheiros da DTA, dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim), o empresário Divaldo Salvador de Souza e o secretário municipal de Indústria e Comércio, Ricardo Pugliese.