Pessoas a partir de 70 anos podem sacar cotas do PIS/Pasep

Pessoas a partir de 70 anos que tenham contribuído com o Programa de Integração Social (PIS) ou o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) podem sacar as cotas nos fundos a partir de hoje (19). A retirada é válida somente para os trabalhadores que tiveram carteira assinada e contribuíram para algum dos dois fundos até 4 de outubro de 1988. Em 17 de novembro, começará o saque para aposentados. Em 14 de dezembro, a retirada será liberada para homens a partir de 65 anos e para mulheres a partir de 62 anos. Não há data limite para os saques. Os herdeiros de cotistas falecidos podem sacar o dinheiro a qualquer momento. Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição de 1988 passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Desde a criação do PIS/Pasep, em 1971, o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completava 70 anos, se aposentasse ou tivesse doença grave ou invalidez. A medida provisória editada recentemente pelo presidente Michel Temer flexibilizou as restrições para as retiradas. No entanto, o cidadão com idade inferior não tem direito à cota, mesmo que tenha contribuído antes de 1988, quando passou a vigorar a atual Constituição brasileira. De acordo com o governo, a liberação dos saques das cotas do PIS/Pasep vai injetar…

Chuvas e ventos de mais de 100 km/h causam estragos no Rio Grande do Sul

As fortes chuvas, tempestades de granizo e vendavais causaram estragos durante a noite de ontem (18) e madrugada de hoje (19) no Rio Grande do Sul. A capital Porto Alegre e cidades de todo o interior do estado foram atingidas por alagamentos, destelhamento de casas, falta de energia elétrica e queda de árvores. Estradas também foram bloqueadas.

Ventos de 134 quilômetros por hora (km/h) foram registrados em Cruz Alta; em Soledade chegaram a 112 km/h. Segundo a Defesa Civil do Rio Grande do Sul não há registro de pessoas feridas, apenas danos materiais.

As tempestades avançaram ontem do oeste e sul gaúcho para o restante do estado em decorrência da instabilidade de uma massa de ar quente e úmido, agravadas depois por uma frente fria.

Segundo o MetSul Meteorologia, quase todo o Rio Grande do Sul não tem mais risco de temporal, mas o tempo segue instável, com predomínio de nuvens e chuvas a qualquer hora. As tempestades se deslocam agora para Santa Catarina e Paraná.

Compartilhe:

Ansiedade atinge 69% dos consumidores com dívidas atrasadas

O percentual de consumidores brasileiros que sofrem de ansiedade por causa de dívidas atrasadas por mais de 90 dias subiu de 60%, em setembro do ano passado, para 69% no mesmo mês deste ano, segundo levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Outros sentimentos apontados pelos consumidores inadimplentes são insegurança (65%), estresse (64%), angústia (61%), desânimo (58%), culpa (57%), baixa autoestima (56%) e vergonha perante a família e amigos (51%). Os principais efeitos incluem ficar facilmente irritado (52%) ou mal-humorado (49%), além de ter menos vontade de sair e socializar (45%). A inadimplência afeta a vida profissional, já que 25% dos inadimplentes admitiram ficar mais desatentos e menos produtivos, alta de 9 pontos percentuais em relação a 2016. Ainda, 21% disseram que perdem a paciência e se irritam com facilidade ao lidar com colegas no serviço.   Vícios Inadimplentes também recorrem a vícios. Pelo menos 21% deles admitiram descontar os problemas no cigarro, em comida ou no álcool. Enquanto alguns sofrem de insônia (44%) e descontam a ansiedade comendo mais (34%), outros acabam desenvolvendo atitudes contrárias, como perda de apetite (35%) e vontade fora do normal de dormir (36%). Foram constatadas também atitudes agressivas em 18% dos consumidores com dívidas, sendo que 14% apelaram para agressões físicas. O maior temor com relação às pendências atrasadas é não conseguir pagá-las (36%), ser considerado desonesto pelas pessoas (11%), não conseguir parcelas compras (9%), não arrumar emprego (9%) e não poder mais fazer empréstimos (7%). Economia Tentando sanar…

Marabaenses continuam sem água em Marabá

Adutora da estação de tratamento foi rompida. Fornecimento deve retornar somente a partir das 8h de sexta-feira (20).

fornecimento de água continua suspenso em dois bairros do município de Marabá, no sudeste do Pará, nesta quinta-feira (19). Cerca de cem mil pessoas estão sem o serviço. A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) informou que o abastecimento seja normalizado somente na sexta-feira (20), a partir das 8h.

A Cosanpa informou que o abastecimento foi suspenso nos núcleos da Cidade Nova e Nova Marabá. Segundo a empresa, a adutora da estação de tratamento do município foi rompida durante a madrugada. Uma equipe trabalha no local.

Racionamento

Em agosto, os moradores dos dois bairros tiveram que racionar água, por causa do baixo nível do rio Tocantins.

Em outubro, encontrou em operação o sistema emergencial de captação de água do rio Tocantins, na Estação de Tratamento de Água da Nova Marabá. O novo sistema conta com uma estrutura de duas bombas de sucção e uma tubulação de 147 metros, que está levando a água diretamente para o tratamento na estação.

Compartilhe:

Incra alerta por meio de Nota sobre cobranças indevidas  

 

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), por meio de sua Superintendência Regional do Sul do Pará – SR(27), vem informar a toda a sociedade e, em especial, ao público da reforma agrária, que não autoriza qualquer indivíduo a realizar cobrança de taxa para cadastramento de candidatos a parcelas em assentamentos do Programa Nacional de Reforma Agrária.

Essa advertência se deve ao fato de que chegou a esta Regional, a informação de que pessoas estariam cobrando taxas para assentar trabalhadores em propriedades rurais da família Miranda, na região de Parauapebas, utilizando o nome do Incra e do superintendente Asdrúbal Bentes.

Esclarecemos ainda, que o Incra não cobra pelo cadastramento de famílias no Programa Nacional de Reforma Agrária. Qualquer recolhimento de taxa só ocorre quando determinado em lei ou no Regimento Interno, devendo ser feito exclusivamente através de Guia de Recolhimento da União (GRU), sendo vedado o recebimento desses valores por servidor público ou por terceiros. A prática dessas cobranças se constitui crime e deve ser formalmente denunciada para a adoção das providências legais cabíveis.

 

INCRA – SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO SUL DO PARÁ

Compartilhe:

Você S/A destaca a Celpa como umVocê S/A destaca a Celpa como uma das melhores empresas para trabalhar no paísa das melhores empresas para trabalhar no país

Em sua primeira participação na pesquisa, a concessionária paraense conquistou a quinta colocação entre as empresas do setor elétrico   A Celpa fez sua estreia na relação das 150 melhores empresas para trabalhar, elaborada pelo Guia Você S/A. Em cerimônia realizada em São Paulo na última terça-feira, dia 17, a publicação divulgou os nomes das companhias que mais se destacaram no ano de 2017 nos quesitos gestão de pessoas e ambiente organizacional. Foram anunciados vencedores em 19 setores da economia. Na categoria ‘Energia’, a concessionária paraense, em seu primeiro ano de participação, cravou a quinta colocação em uma lista de dez empresas do ramo. O Presidente da distribuidora paraense, Nonato Castro, frisou que o modelo de gestão executado na empresa possibilitou este reconhecimento. E segundo o gestor, o mais importante foi que os colaboradores o reconheceram na pesquisa como eficaz, possibilitando um ótimo clima organizacional. “Estamos muito felizes com este resultado, em especial, porque é nossa primeira participação. Há menos de três meses também fomos destaque na revista ÉPOCA e o Instituto Internacional Great Place to Work (GPTW), que também nos posicionou como uma das 150 melhores empresas para trabalhar”, orgulhou-se Nonato. Para Manoel Pereira, que é colaborador da Celpa há 37 anos e atualmente trabalha na área de Planejamento da empresa, esses bons resultados relacionados à gestão refletem exatamente o novo momento que a empresa está vivenciando. “Em todos esses anos que eu trabalho aqui nunca vi a Celpa tão focada em oferecer boas condições para seus colaboradores. É o melhor momento da concessionária…

Tendência: Maraluz segue lider em seu segmento e em luminárias e lustres

Há mais de 30 anos no segmento de materiais elétricos, a Maraluz está trabalhando forte para acompanhar a evolução do mercado. Buscando essa inovação, a empresa agora disponibiliza uma vasta gama de luminárias e lustres.

Segundo o Diretor da Maraluz, João de Oliveira Vasconcelos, o Led é carro chefe do momento e entre os benefícios, possui uma vida útil maior e a iluminação traz grande economia para o consumidor.

“A Maraluz tem 32 anos no mercado e expandimos para esta área de luminárias e lustres, que é uma tendência do mercado. Além de iluminar, elas decoram o ambiente”, afirma o empresário.

A empresa disponibiliza os melhores produtos das melhores marcas, trabalha com catálogo e venda direta para o consumidor, com facilidade nas condições pagamento, no cartão ou boleto.

As lojas estão instaladas em pontos estratégicos, na Avenida Antônio Maia, na Marabá Pioneira e na Rodovia Transamazônica BR-230, Cidade Nova. Já a Matel está localizada na Folha 28, Nova Marabá. (94) 3322-1656/ (94) 3323-2199

Compartilhe:

Salame: João Salame reúne com reitor da Unifesspa pra articular curso de Medicina para Marabá

 

O diretor do DAB, João Salame, reuniu nesta quarta-feira com o reitor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Maurilio Monteiro, para articular ações no sentido de garantir a implantação do curso de Medicina na Unifesspa de Marabá.
Salame destacou ter o apoio do ministro Hélder Barbalho e do ministro da Saúde, Ricardo Barros, para a iniciativa.
A residência do curso não vai precisar do Hospital Regional porque será voltada para a atenção básica.
O ex-prefeito e ex-secretário de Saúde de Marabá, ainda na gestão João Salame, formatou a proposta da residência.
Maurílio destacou o apoio que já vem sendo dado para a Unifesspa pelo deputado Beto Salame, na construção do Restaurante Universitário de Marabá e do Campus de Xinguara através de emendas parlamentares. “O compromisso do João e do Beto com a Universidade tem sido intenso e com certeza, com as forças que estão sendo arregimentadas, vamos conseguir o sonho de ter o curso de Medicina em nosso Campus de Marabá”, destacou o reitor.
Articulação do projeto para fazer residência médica na atenção básica foi do ex-secretário Nagib Mutran

Compartilhe: