Vale lança série de documentários sobre os 50 anos da descoberta de Carajás

Carajás, a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, comemora hoje, 31 de julho, 50 anos de descoberta. Foi neste dia, em 1967, que o helicóptero onde estava o geólogo Breno Augusto dos Santos fez um pouso de abastecimento em uma clareira da Serra Arqueada, no sudeste do Pará. A ideia inicial era procurar manganês, mas o que foi encontrado ali mudou a história da Vale e também do Brasil, e colocou o país no mapa da mineração mundial.   O geólogo desceu para examinar algumas rochas do local: “Quando bati o martelo, saiu um negócio avermelhado e vi que não era manganês, era ferro. Pensei ‘caramba, isso tudo aqui é ferro’”. Breno era chefe de equipe de geólogos da USSteel, siderúrgica norte-americana, que na época procurava mangânes na Amazônia para abastecer suas usinas nos Estados Unidos. A equipe era formada também pelos geólogos Erasto de Almeida e João Ritter. A partir desta descoberta começaram as pesquisas minerais na região que hoje é a maior produtora de minério de ferro de alta qualidade do mundo. Para se ter uma ideia da dimensão da Serra de Carajás, na época da descoberta, a Vale já era uma das maiores empresas do Brasil, produzindo quase 11 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Atualmente, somente o Complexo de Carajás produz cerca de 150 milhões de toneladas anuais. “O minério de Carajás foi ocupando um espaço importante no mercado mundial, dada a sua qualidade, que possibilita a blendagem (mistura) com outros minérios mais pobres…

ANEEL aprova reajuste 6,87% na tarifa de energia elétrica do paraense a partir de 7 de agosto

A Diretoria da ANEEL aprovou hoje (31/7), em reunião pública, reajuste da tarifa das Centrais Elétricas do Pará S.A (Celpa). A empresa atende 2,4 milhões em 144 municípios do estado do Pará. As tarifas entram em vigor a partir do dia 7/8/17. O consumidor residencial terá um impacto de 6,87% na tarifa. Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais.

Empresa Classe de Consumo – Consumidores cativos Baixa tensão em média Alta tensão em média (indústrias) Efeito Médio para o consumidor Residencial (B1)

Ceris-SP Celpa 5,86% 11,22% 7,19% 6,87%

O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

Mais informações sobre reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico www.aneel.gov.br.

Compartilhe:

CULTURA: em agosto, o GAM expõe acervo na Galeria Vitória Barros

No mês de agosto a Galeria Vitória Barros abre o segundo semestre de exposições dando início ao programa Galeria Aberta, e receberá a Exposição “Tereza Bandeira – A voz que me guia” em parceira com o Galpão de Artes de Marabá – GAM, atualmente localizado no Bairro Francisco Coelho – o Cabelo Seco. A primeira exposição do programa homenageia uma grande figura de Marabá, Tereza Bandeira. Antônio Botelho, curador do acervo deixado pela artista ao GAM, apresentará suas principais obras. Termo utilizado usualmente para definir aqueles que são realizadores de exposições, curador tem sua origem na palavra “curator”, do latim, que significa ‘o que cuida’, designando aqueles que têm sob tutela o patrimônio de terceiros ou mesmo a responsabilidade por uma pessoa. Amplamente apropriada pelas artes, a palavra curadoria surge para designar os que tinham para si a responsabilidade sobre determinados acervos institucionais, e deveriam, para além de expor, pesquisar e agenciá-los. Grande admirador de Tereza Bandeira, Antônio Botelho possui, desta forma, tal responsabilidade que lhe apraz. Tereza, que faleceu aos 86 anos, experimentou a arte já na vida idosa como forma de vivenciar sua espiritualidade. Cristã, viveu sozinha por muito tempo numa casa que se tornou um templo criativo para suas crenças, que não afastavam o misticismo mágico tão caro à nossa colonização sincrética. Suas obras e escritos descrevem uma mulher devota e temente aos desígnios de Deus. A fim de expressar seus credos compôs uma poética mágica e intuitiva, se valendo de inúmeros materiais, lançando imagens onde a fé é meio para estar…

Força Nacional de Luta ocupa a sede do Incra em Marabá

A sede da Superintendência Regional do Incra, em Marabá, amanheceu ocupada, nesta segunda-feira, 31 de julho, por mais de 300 pessoas ligadas à Força Nacional de Luta (FNL), movimento que representa as demais entidades de luta pela terra. Eles exigem mais rapidez do instituto de terras na emissão de títulos definitivos. Dizem que o órgão trabalha com muita morosidade e que existem mais de 5 mil famílias aguardando até hoje a documentação de seus lotes.

Afirmam ainda, por meio de lideranças, que, sempre que procurado, o Incra diz que não tem verba nem estrutura suficiente para fazer as vistorias que estão pendentes, mas dizem que o órgão central, em Brasília, afirma o contrário: “Lá em Brasília eles dizem que o dinheiro tem sido enviado”, disse Moacir Ribeiro, um dos líderes da ocupação.

Asdrúbal Bentes, superintendente regional do Incra, ouvido pelo Zeca News¸ diz que está fazendo o que pode com os poucos recursos repassados. Afirma que na tarde desta segunda-feira vai se reunir com outro líder do movimento, que está chegando a Marabá, para tentar chegar a um acordo a fim de desocupar a sede. E promete envidar esforços para que o Incra nacional atenda a pauta de reivindicações da FNL.

Compartilhe:

Programa ‘Direção Viva’ reforça educação no trânsito em ação na BR-316

O programa ‘Direção Viva’ finalizou suas ações de educação de trânsito no verão paraense nesta sexta-feira, 28/7, durante atividade na rodovia BR-316, na região metropolitana de Belém (PA). Colaboradores do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), orientaram motoristas, pedestres, ciclistas e condutores de motocicletas para a importância do uso de equipamentos de segurança e direção responsável. A primeira ação do programa aconteceu no mesmo local no último dia 14/7. Os residentes multiprofissionais e colaboradores novamente utilizaram maquiagens para simular lesões causadas por acidentes de trânsito. A caracterização foi feita com itens simples como farinha de trigo, cola branca, açúcar e corante alimentício. A mistura resultou em lesões realistas nos braços e face dos colaboradores. Além da maquiagem realista, os colaboradores distribuíram material educativo aos condutores que paravam no semáforo localizado no sentido Belém-Ananindeua da rodovia. A ação teve apoio da Polícia Rodoviária Federal, responsável por orientar o trânsito na área. O ex-secretário de Saúde Pública do Estado e atual coordenador do Comitê Estadual de Prevenção da Mortalidade Materna e Infantil, Hélio Franco, participou novamente da ação. Franco reforçou a defesa da ideia de que o trânsito deve ser encarado com responsabilidade por motoristas e pedestres. Ele defendeu ainda a participação pacífica dos condutores no tráfego nas cidades paraenses. Para o diretor-geral do HMUE, Rogério Kuntz, as ações do “Direção Viva” ajudam a conscientizar a comunidade para a importância de ser prudente ao conduzir veículos e motocicletas. “O Direção Viva é uma ação pertinente e influente que vem conseguindo conscientizar a população.…

Hospital Regional de Marabá incentiva a participação de familiares na recuperação dos pacientes

Desde que sofreu um acidente vascular cerebral, Pedro Paulo Silva, de 69 anos, tem dificuldades para realizar tarefas como sentar e caminhar. Acostumado a fazer tudo sozinho, antes, a rotina de novos cuidados não tem sido fácil para ele, que está internado há uma semana no Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, no sudeste do Pará. As filhas revezam a atenção dada ao pai e, sempre que necessário, esclarecem dúvidas sobre as etapas do tratamento. Nesta quinta-feira, 25/7, uma delas participou do encontro do Grupo de Apoio à Assistência (GAA), que reúne, semanalmente, os acompanhantes para informar sobre a rotina da unidade e como familiares podem colaborar para a recuperação do paciente. Segundo o gerente de Suprimentos, Murillo Luz, que repassou as orientações, um dos objetivos do encontro é disseminar medidas que promovam uma assistência segura, qualificada e humanizada ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). A orientação deixou mais segura Giselle Silva, de 26 anos, filha de Pedro. ”Achei importante receber essas orientações. Assim a gente consegue cuidar melhor do papai. Quando fui visitá-lo na UTI [Unidade de Terapia Intensiva], antes de entrar no setor, fui informada sobre a identificação que o hospital usa para mostrar risco de queda e lesão. Isso faz com que a gente fique mais atenta”, contou ela. A indicação a que ela se refere é uma etiqueta amarela fixada na pulseira de identificação dos pacientes avaliados com risco de queda. No caso de pacientes idosos e com quadros clínicos iguais ao de seu Pedro, por…

Último envolvido na morte do prefeito de Breu Branco se entrega à polícia

Márcio José Miranda dos Santos se entregou, na manhã deste sábado (29), à equipe da Divisão de Homicídios (DH) do município de Goianésia do Pará, região sudeste do Pará. Márcio era o último suspeito de envolvimento na morte do prefeito de Breu Branco, Diego Kolling, que estava foragido.
De acordo com a Polícia Civil, Márcio atuou como o intermediário da ação criminosa. Ele foi levado para Tucuruí e, ainda neste fim de semana, deve ser transferido para Belém e levado a um presídio.
Os demais envolvidos no crime, Ricardo José Passanha Lauria, Antônio Genival Lima Moura, Sérgio Piva Simoni, Wesley Linch e Maciel Buosi Dias foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Americano, em Santa Isabel do Pará, na Região Metropolitana de Belém, na noite de sexta-feira (28).
O prefeito Diego Kolling foi morto, no dia 16 de maio deste ano, enquanto andava de bicicleta em um trecho da Rodovia PA-263, que liga as cidades de Tucuruí e Goianésia do Pará. (Fonte: DOL com informações da Polícia Civil)

Compartilhe:

Dono da Fazenda Mutamba faz desabafo no Facebook e recebe manifestações de solidariedade

O pecuarista Sérgio Augusto Mutran, um dos donos da Fazenda Mutamba, propriedade invadida e depredada na manhã do último domingo, 23, ato que resultou num prejuízo avaliado em R$ 1 milhão, postou no início da manhã desta sexta-feira, 28, o seguinte desabafo: “Mais uma noite sem dormir! Me sinto como se estivesse em Cuba nos anos 60, onde as propriedades eram tomadas pelo governo. As invasões foram todas articuladas para tomar a propriedade privada produtiva. As invasões ocorrem quando a Justiça está em recesso. O juiz substituto nos negou a liminar da Reintegração! Na Polícia nada é apurado em relação aos envolvidos referente à destruição e aos roubos. Desarmaram a população! Não temos condições de defender a propriedade, pois não temos poder de reação. Continua a tática de guerrilha. Depois da destruição dos prédios e maquinários, agora estão tocando fogo nas pastagens, destruindo a floresta e roubando o gado. Só Deus e as pessoas de bem podem nos ajudar neste momento”. A situação narrada por Sérgio Mutran causou manifestação de revolta em outros pecuaristas da região, inclusive em quem já teve propriedade usurpada e destruída, a exemplo do que aconteceu na Mutamba. Vários deles entraram em contato com o Zeca News, e desabafaram: “Não podemos mais suportar tal situação. Ontem foi a Mutamba, amanhã pode ser qualquer outra que, mesmo sendo produtiva e documentada, não escapará à cobiça desses grupos criminosos travestidos de camponeses”, escreveu pecuarista que pediu para ter a identidade preservada, “não por covardia, mas temendo pela segurança da família”. Outro, que pelo…