Projeto aprovado pelo Senado permite fechar farmácia que vende produto pirata

O plenário do Senado aprovou nessa quarta-feira (15) projeto de lei que permite que farmácias que vendam medicamentos falsificados sejam fechadas por tempo indeterminado. Atualmente, a lei prevê prazo máximo de 90 dias de interdição do estabelecimento ou suspensão da venda do item sob suspeita, período após o qual, se nada ficar comprovado, a farmácia pode ser reaberta.

 

O projeto aprovado acaba com esse prazo máximo, permitindo que o estabelecimento fique fechado sem limite de prazo.

 

O texto é originário do Senado e já passou pela Câmara dos Deputados, onde recebeu emenda para ampliar o escopo de produtos que podem levar à interdição da farmácia. Inicialmente, o texto previa apenas para casos de medicamentos falsificados, mas os deputados incluíram também cosméticos e itens de higiene pessoal.

 

Os senadores optaram por não retomar o texto original por considerar que a modificação feita na Câmara não alterou o objetivo principal do projeto, que é o combate à pirataria. Assim, aprovaram em definitivo a matéria e ela seguirá agora para sanção presidencial.

Compartilhe:

Hubble identifica sinais de ‘última ceia’ e ‘arroto’ de buraco negro no centro da Via Láctea

G1 – O vasto buraco negro no centro da Via Láctea fez sua “última ceia” há cerca de 6 milhões de anos, quando ingeriu uma enorme massa de gás, absorvida por sua implacável força gravitacional.

O banquete deve ter causado uma forte indigestão, uma vez que o buraco estufado logo “arrotou” uma bolha de gás gigante, que pesa o equivalente a milhões de sóis e vaga agora acima e abaixo do centro da nossa galáxia.

As estruturas gigantescas, conhecidas como bolhas de Fermi, foram descobertas em 2010 pelo telescópio espacial de raios gama Fermi, da Nasa. Mas pouco se sabia, até agora, sobre sua origem e idade.

Leia mais
 

Compartilhe:

Reparo emergencial na BR-155 liberou tráfego no sul do Pará

Equipe do DNIT fiz serviço emergencial de improviso.
Asfalto cedeu nesta sexta-feira, 17.
O trecho da rodovia BR-155, próximo ao município de Rio Maria, no sul do Pará, está liberada. Técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) fizeram um serviço emergencial, improvisado para garantir a liberação do tráfego. A via foi bloqueada por causa de uma cratera que se abriu no asfalto, na madrugada desta sexta-feira (17).

O buraco se abriu devido a força da água do córrego Cará, que arrebentou o bueiro que passava no local.

Um caminhoneiro quase caiu dentro do buraco, causando um prejuízo de quase R$ 30 mil.
Com a rodovia interditada, formou-se um engarrafamento de cinco quilômetros. Motoristas tentaram contornar o caminho por estradas vicinais, mas tiveram de voltar por causa de atoleiros

Compartilhe:

Arlindo Cruz é levado para hospital após sofrer um AVC em casa

Arlindo Cruz é levado para hospital após sofrer um AVC em casa
Cantor foi transferido para a Casa de Saúde São José, no Humaitá. ‘Ele desmaiou no banho. Íamos para São Paulo’, conta seu filho, Arlindinho.

 

O cantor Arlindo Cruz foi levado na tarde desta sexta-feira, 17, às pressas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Segundo noticiou o G1, ele foi encontrado inconsciente pela mulher na residência do casal.

Procurada pelo EGO, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio informou que Arlindo Cruz foi atendido pela Coordenação de Emergência Regional (CER), responsável pelos pacientes em situação emergencial que chegam ao Lourenço Jorge, e passou por exames.

No início da noite, a família conseguiu uma transferência para o cantor, que foi levado para a Casa de Saúde São José, no bairro do Humaitá, na Zona Sul do Rio.

Compartilhe:

Ministério da Saúde avalia atendimento a gestantes no Hospital Regional de Marabá

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, participou da avaliação nacional do Ministério da Saúde sobre a implantação de boas práticas na atenção ao parto e nascimento nas unidades de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Até o final do ano, 633 estabelecimentos passarão pela análise da instituição. Desse total, 268 estão localizados nas regiões Norte e Nordeste. Cada avaliador passa, em média, cinco dias na unidade para verificar estrutura, equipamentos, fluxos de atendimento e percepção dos usuários sobre os serviços oferecidos. A análise é feita com parâmetros da Rede Cegonha, estratégia do governo federal para estruturar e organizar a atenção à saúde materno-infantil no País. No HRSP – unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) – a visita foi realizada na semana passada pela representante do Ministério da Saúde, Sílvia Amorim, e pela enfermeira da Divisão Técnica da Saúde da Mulher do 11º Centro Regional de Saúde, Analécia da Silva. As informações reunidas na unidade serão avaliadas pelo órgão federal e, posteriormente, repassadas ao Governo do Estado. Alto risco Referência para 22 municípios paraenses, o Hospital Regional de Marabá é a única unidade da região a disponibilizar atendimento em Obstetrícia de Alto Risco pelo SUS. Partos desse tipo são realizados pela unidade desde maio de 2014, o que já beneficiou mais de 180 mulheres de municípios diversos. Se o risco é diagnosticado durante a gravidez, essas pacientes são atendidas na instituição, mediante regulação…

CAGED Pará fica com saldo negativo no Caged de fevereiro

O desempenho do estado foi afetado pela construção civil, que ainda registrou fechamento de mais de 2mil vagas no mês

 

estado do Pará teve saldo negativo entre admissões e demissões em fevereiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês, o saldo negativo foi de -2.238.

O resultado foi influenciado pelo desempenho da construção civil, que teve 2.356 vagas fechadas. No entanto, outros setores fecharam com saldo positivo, apontando para uma recuperação da economia no estado. É o caso do comércio, com 507 novas vagas, agropecuária, com 412 empregos criados e serviços, que teve  327 postos novos.

 

Pará – Comportamento do emprego segundo Setores de Atividade Econômica

Setores de Atividade Econômica
Saldo de Fevereiro de 2017

Variação Absoluta
Variação Relativa (%)

Extrativa Mineral
-132
-0,67

Indústria de Transformação
-765
-0,93

Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP
-27
-0,32

Construção Civil
-2.356
-3,13

Comércio
507
0,25

Serviços
327
0,12

Administração Pública
-4
-0,02

Agropecuária
412
0,78

Total
-2.038
-0,28

Fonte: Caged, Lei 4.923/65

Compartilhe:

Frigoríficos investigados vendiam carne vencida no Brasil e no exterior

Gravações telefônicas obtidas pela Polícia Federal apontam que vários frigoríficos do país vendiam carne estragada tanto no mercado interno, quanto para exportação.

Diretores e donos das empresas estariam envolvidos diretamente nas fraudes, que contavam com a ajuda de servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, no Paraná, Goiás e Minas Gerais.

As gravações foram divulgadas após a deflagração da Operação Carne Fraca, nesta sexta-feira (17). Nelas, segundo a PF, é possível identificar as práticas ilegais cometidas pelas empresas. Entre produtos químicos e produtos fora da validade, há casos ainda mais “curiosos”, como a inserção de papelão em lotes de frango.
 

Compartilhe:

APAE É MODELO DE ATENDIMENTO, MAS PRECISA DE APOIO

Winston Diamantino, Presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais, a APAE, e Socorro Cavalcante, Secretária Executiva da entidade, estão reforçando as necessidades da Associação, além de lembrar a importância da mesma.
Diamantino reflete sobre as dificuldades para manter  500 usuários da entidade e aumentar os atendimentos para poder receber os outros 500 que estão em espera por uma vaga na APAE. A crise financeira dos últimos anos agrava a situação, já que vários parceiros deixaram de apoiar a Associação.
Socorro Cavalcante deixa claro que a instituição trabalha em três dimensões, sendo da Assistência Social, Educação e Saúde. A Secretária Executiva ainda lembra que há pessoas atendidas que são de outros municípios, próximos de Marabá.
A APAE precisa de equipe de apoio, como na área de Secretaria, Marketing, Coordenador, Serviços Gerais, entre outros. A Prefeitura cede servidores para a
APAE, mas não o suficiente para cobrir a demanda.
Para colaborar com a APAE, você pode depositar uma colaboração.
Banco do Brasil
Agência:  4222-6
Conta Corrente: 24093-1

Compartilhe:

MARABÁ: promotoras de Marabá se reúnem com Exército para debater parcerias

 

 

As promotoras de Justiça Alexssandra Muniz Mardegan, Josélia Leontina de Barros Lopes e Mayanna Silva de Souza Queiroz, titulares da Promotoria de Marabá, foram convidadas pelo General de Brigada Eugênio Pacelli Vieira Mota, Comandante da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, para um encontro com a finalidade de estreitar ainda mais os laços já existentes entre o Exército Brasileiro e o Ministério Público do Estado do Pará, em Marabá.

A 23ª Brigada de Infantaria de Selva é inclusive parceira do projeto “Mãos Amigas”, desenvolvido pelas promotoras de Justiça, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população, à margem ou com dificuldade de acesso às políticas públicas, por meio do fortalecimento das entidades de assistência social que atuam em bairros carentes e áreas de risco social no município de Marabá.

Compartilhe:

Siderúrgica vai ampliar produção de aço laminado no Pará

A Siderúrgica Norte Brasil (Sinobrás) vai ampliar a capacidade de produção da empresa no estado do Pará. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16), durante reunião entre a diretoria da indústria siderúrgica e o governador Simão Jatene, no Palácio do Governo, em Belém. A expectativa é que a produção saia de 300 mil toneladas de aço por ano para 800 mil.

A Sinobrás, com sede em Marabá, é uma das maiores empresas do segmento nas regiões Norte e Nordeste. A empresa é especializada na produção de aços longos para a construção civil e tem dez anos de existência.

Acompanhado do secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Eduardo Leão, o governador Simão Jatene recebeu os dirigentes da siderúrgica. “Pretendemos iniciar a duplicação da nossa produção. Sairemos de 300 mil toneladas por ano para 800 mil e essa conversa com o governador foi muito importante, para mostrar quais são as sinergias que o próprio Governo do Estado e a Sinobrás, juntos, podem fazer para que essa expansão possa acontecer efetivamente a partir do ano que vem”, disse Ian Correa, vice-presidente da Sinobrás.

“Com essa expansão, iremos mais do que dobrar a nossa capacidade de produção de aço no Estado. A Sinobrás é a nossa maior produtora de aço e já está com o equipamento comprado para iniciar esse projeto de expansão, assim que o mercado de construção civil melhorar”, disse Eduardo Leão.

Compartilhe: