Ministério da Saúde avalia atendimento a gestantes no Hospital Regional de Marabá

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, participou da avaliação nacional do Ministério da Saúde sobre a implantação de boas práticas na atenção ao parto e nascimento nas unidades de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Até o final do ano, 633 estabelecimentos passarão pela análise da instituição. Desse total, 268 estão localizados nas regiões Norte e Nordeste. Cada avaliador passa, em média, cinco dias na unidade para verificar estrutura, equipamentos, fluxos de atendimento e percepção dos usuários sobre os serviços oferecidos. A análise é feita com parâmetros da Rede Cegonha, estratégia do governo federal para estruturar e organizar a atenção à saúde materno-infantil no País. No HRSP – unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) – a visita foi realizada na semana passada pela representante do Ministério da Saúde, Sílvia Amorim, e pela enfermeira da Divisão Técnica da Saúde da Mulher do 11º Centro Regional de Saúde, Analécia da Silva. As informações reunidas na unidade serão avaliadas pelo órgão federal e, posteriormente, repassadas ao Governo do Estado. Alto risco Referência para 22 municípios paraenses, o Hospital Regional de Marabá é a única unidade da região a disponibilizar atendimento em Obstetrícia de Alto Risco pelo SUS. Partos desse tipo são realizados pela unidade desde maio de 2014, o que já beneficiou mais de 180 mulheres de municípios diversos. Se o risco é diagnosticado durante a gravidez, essas pacientes são atendidas na instituição, mediante regulação…

CAGED Pará fica com saldo negativo no Caged de fevereiro

O desempenho do estado foi afetado pela construção civil, que ainda registrou fechamento de mais de 2mil vagas no mês

 

estado do Pará teve saldo negativo entre admissões e demissões em fevereiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês, o saldo negativo foi de -2.238.

O resultado foi influenciado pelo desempenho da construção civil, que teve 2.356 vagas fechadas. No entanto, outros setores fecharam com saldo positivo, apontando para uma recuperação da economia no estado. É o caso do comércio, com 507 novas vagas, agropecuária, com 412 empregos criados e serviços, que teve  327 postos novos.

 

Pará – Comportamento do emprego segundo Setores de Atividade Econômica

Setores de Atividade Econômica
Saldo de Fevereiro de 2017

Variação Absoluta
Variação Relativa (%)

Extrativa Mineral
-132
-0,67

Indústria de Transformação
-765
-0,93

Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP
-27
-0,32

Construção Civil
-2.356
-3,13

Comércio
507
0,25

Serviços
327
0,12

Administração Pública
-4
-0,02

Agropecuária
412
0,78

Total
-2.038
-0,28

Fonte: Caged, Lei 4.923/65

Compartilhe:

Frigoríficos investigados vendiam carne vencida no Brasil e no exterior

Gravações telefônicas obtidas pela Polícia Federal apontam que vários frigoríficos do país vendiam carne estragada tanto no mercado interno, quanto para exportação.

Diretores e donos das empresas estariam envolvidos diretamente nas fraudes, que contavam com a ajuda de servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, no Paraná, Goiás e Minas Gerais.

As gravações foram divulgadas após a deflagração da Operação Carne Fraca, nesta sexta-feira (17). Nelas, segundo a PF, é possível identificar as práticas ilegais cometidas pelas empresas. Entre produtos químicos e produtos fora da validade, há casos ainda mais “curiosos”, como a inserção de papelão em lotes de frango.
 

Compartilhe:

APAE É MODELO DE ATENDIMENTO, MAS PRECISA DE APOIO

Winston Diamantino, Presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais, a APAE, e Socorro Cavalcante, Secretária Executiva da entidade, estão reforçando as necessidades da Associação, além de lembrar a importância da mesma.
Diamantino reflete sobre as dificuldades para manter  500 usuários da entidade e aumentar os atendimentos para poder receber os outros 500 que estão em espera por uma vaga na APAE. A crise financeira dos últimos anos agrava a situação, já que vários parceiros deixaram de apoiar a Associação.
Socorro Cavalcante deixa claro que a instituição trabalha em três dimensões, sendo da Assistência Social, Educação e Saúde. A Secretária Executiva ainda lembra que há pessoas atendidas que são de outros municípios, próximos de Marabá.
A APAE precisa de equipe de apoio, como na área de Secretaria, Marketing, Coordenador, Serviços Gerais, entre outros. A Prefeitura cede servidores para a
APAE, mas não o suficiente para cobrir a demanda.
Para colaborar com a APAE, você pode depositar uma colaboração.
Banco do Brasil
Agência:  4222-6
Conta Corrente: 24093-1

Compartilhe:

MARABÁ: promotoras de Marabá se reúnem com Exército para debater parcerias

 

 

As promotoras de Justiça Alexssandra Muniz Mardegan, Josélia Leontina de Barros Lopes e Mayanna Silva de Souza Queiroz, titulares da Promotoria de Marabá, foram convidadas pelo General de Brigada Eugênio Pacelli Vieira Mota, Comandante da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, para um encontro com a finalidade de estreitar ainda mais os laços já existentes entre o Exército Brasileiro e o Ministério Público do Estado do Pará, em Marabá.

A 23ª Brigada de Infantaria de Selva é inclusive parceira do projeto “Mãos Amigas”, desenvolvido pelas promotoras de Justiça, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população, à margem ou com dificuldade de acesso às políticas públicas, por meio do fortalecimento das entidades de assistência social que atuam em bairros carentes e áreas de risco social no município de Marabá.

Compartilhe:

Siderúrgica vai ampliar produção de aço laminado no Pará

A Siderúrgica Norte Brasil (Sinobrás) vai ampliar a capacidade de produção da empresa no estado do Pará. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16), durante reunião entre a diretoria da indústria siderúrgica e o governador Simão Jatene, no Palácio do Governo, em Belém. A expectativa é que a produção saia de 300 mil toneladas de aço por ano para 800 mil.

A Sinobrás, com sede em Marabá, é uma das maiores empresas do segmento nas regiões Norte e Nordeste. A empresa é especializada na produção de aços longos para a construção civil e tem dez anos de existência.

Acompanhado do secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Eduardo Leão, o governador Simão Jatene recebeu os dirigentes da siderúrgica. “Pretendemos iniciar a duplicação da nossa produção. Sairemos de 300 mil toneladas por ano para 800 mil e essa conversa com o governador foi muito importante, para mostrar quais são as sinergias que o próprio Governo do Estado e a Sinobrás, juntos, podem fazer para que essa expansão possa acontecer efetivamente a partir do ano que vem”, disse Ian Correa, vice-presidente da Sinobrás.

“Com essa expansão, iremos mais do que dobrar a nossa capacidade de produção de aço no Estado. A Sinobrás é a nossa maior produtora de aço e já está com o equipamento comprado para iniciar esse projeto de expansão, assim que o mercado de construção civil melhorar”, disse Eduardo Leão.

Compartilhe:

Hospital Regional de Marabá certifica profissionais mais elogiados por usuários

Morador do município de São Geraldo do Araguaia (PA), seu Zenuto Leão, de 66 anos, está internado no Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, há uma semana, para tratar de hérnia. Ele é acompanhado pela esposa, a dona de casa Maria Iandecyra Duarte, de 55 anos, que diz estar satisfeita com o atendimento recebido na unidade. ”Sou muito feliz por termos aqui, no Pará, um hospital tão maravilhoso como esse. Só tenho coisas boas a dizer. Todas as pessoas que trabalham aqui estão de parabéns. Vejo o cuidado que elas têm com os pacientes, como o meu marido e um senhor de idade, que estão na mesma enfermaria. Eu nunca tinha visto um lugar que tratasse tão bem os idosos”, elogiou a dona de casa. Ao longo do ano, experiências como a de dona Maria Iandecyra e seu Zenuto são registradas voluntariamente no Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), que funciona como uma ouvidoria do Sistema Único de Saúde (SUS) dentro da unidade. O setor é responsável por orientar pacientes, acompanhantes e visitantes sobre os serviços ofertados pela instituição, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Também é atribuição do SAU avaliar diariamente o grau de satisfação dos usuários, por meio de pesquisas realizadas nas Unidades de Internação, Acolhimento e Ambulatório. Em fevereiro, o índice de satisfação do usuário foi de 97%. Assim, para reconhecer o compromisso dos profissionais na prestação de…

Ibama realizará com concurso com 1.529 vagas para níveis médio e superior

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai enviar ao Ministério do Planejamento, até o dia 31 de maio, o pedido de concurso para 1.529 vagas de níveis médio e superior. A abertura do novo edital é emergencial, devido a grande carência no quadro atual de servidores, além da previsão de que 25% se aposentem até 2019.

Devem ser solicitadas 680 vagas para nível superior nas funções de analista administrativo (180) e analista ambiental (500), ambos com remuneração de R$7.760,45. Além disso, serão disponibilizadas 849 chances em todos os cargos, entre eles os de técnico administrativo e ambiental, ambos exigem ensino médio e tem salário de R$3.712,72.

O Ibama ainda não divulgou a data exata que irá enviar o pedido de concurso, mas será feito em breve devido a urgência em repor seu quadro de servidores. O órgão contrata seus funcionários através do regime estatutário, que garante estabilidade no emprego.

Este novo processo seletivo deve ser realizado sob a organização da Cebraspe (antigo Cespe/UnB), instituição que tradicionalmente é responsável pelos concursos do Ibama. Segundo previsão, o instituto irá abrir oportunidades em diversos estados do Brasil.
 

Compartilhe:

Nascidos em maio e junho recebem benefício do PIS a partir de hoje

Os trabalhadores nascidos nos meses de maio e junho, que recebem até dois salários mínimos, poderão sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) a partir de hoje (16). A retirada poderá ser feita nas agências da Caixa Econômica Federal, nos caixas eletrônicos por meio do Cartão do Cidadão, nas casas lotéricas e nos correspondentes bancários.

O banco também pagará os rendimentos das cotas do PIS para os trabalhadores cadastrados no programa antes de 4 de outubro de 1988. Nesse caso, os rendimentos variam conforme o saldo existente na conta do PIS vinculada ao trabalhador.

 

Compartilhe:

Polícia Federal desarticulaesquema de fraude no seguro defeso no Pará

Operação deflagrada nesta quinta-feira, 16, prendeu três suspeitos.
Policiais cumprem mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão.

Fraudes tiveram como base a sede da Associação de Pescadores da Colônia Z-58, em Nova Ipixuna. (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)
A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (16) uma operação para desarticular um esquema de fraude no seguro defeso, benefício concedido a pescadores no período em que a pesca é proibida. Ao todo, quatro equipes compostas por 20 policiais federais, cumprem três mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão na região sudeste do Pará.

Entre os locais de busca, está a Associação de Pescadores da Colônia Z-58 e algumas residências nas cidades de Nova Ipixuna e Itupiranga. Três pessoas que faziam parte do esquema para fraudar e obter parcela do seguro defeso pago para falsos pescadores já foram presas.

Segundo a PF, um dos alvos da operação já havia sido denunciado por outras fraudes e preso por coagir testemunhas do crime durante uma ação judicial, na Justiça Federal. De pescador, o suspeito virou empresário e vereador. Se condenados pelos crimes, os suspeitos podem pegar pena de reclusão de até 15 anos.

Investigações
A atividade de conseguir falsas pessoas dedicadas à pesca se estendia a várias regiões próximas, que ainda estão sob investigação. De acordo com os cálculos estimativos do chefe da investigação, o prejuízo aos cofres públicos ao longo de quase dez anos de atividade dos criminosos chega aos R$ 10 milhões.

Compartilhe: