Dtentos devem fazer provas do Enem em presídios do Pará

 

Susipe inscreveu um total de 1.041 detentos.
O número já é 30% maior que no ano passado.

Detentos assistem aula preparatória e mais de mil vão fazer Enem, em 2016. (Foto: Divulgação/Susipe)
Detentos custodiados nas unidades prisionais do Pará iniciaram uma preparação intensiva voltada ao Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) para o programa Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) 2016.  Neste ano, a Susipe inscreveu um total de 1.041 detentos. O número já é 30% maior que no ano passado.

As aulas do Pro Enem são uma parceria da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e ocorrem em 20 municípios.
As provas serão realizadas em 41 casas penais, sendo cinco delas centrais de triagem, onde foram registrados 85 inscritos, um recorde para as casas de passagem, segundo a Coordenadoria de Educação Prisional (CEP) da Susipe. As inscrições para o exame foram realizadas de 3 a 21 de outubro.

Compartilhe:

Tragédia anunciada

O homicídio foi causado por uma discussão, depois que ambos consumiram drogas. Isso dá a medida do que vem ocorrendo no interior das quase mil escolas públicas invadidas em todo o País

Se havia dúvidas sobre a irresponsabilidade das invasões de escolas públicas de ensino médio, como forma de protesto contra a medida provisória (MP) que flexibiliza o currículo desse ciclo educacional e contra a PEC que limita os gastos públicos, elas foram desfeitas com o trágico assassinato de um adolescente de 16 anos por um colega de 17 anos num colégio estadual de Curitiba que está ocupado há mais de 20 dias.

O homicídio foi causado por uma discussão, depois que ambos consumiram drogas. Isso dá a medida do que vem ocorrendo no interior das quase mil escolas públicas invadidas em todo o País, sob forte estímulo de partidos de esquerda e facções radicais. Horas depois da tragédia, advogados “voluntários” que assessoram os invasores acusaram o governo paranaense de ter incitado a violência contra as invasões e de ser o responsável indireto pelo assassinato. Em nota, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) acusaram as autoridades paranaenses de aproveitar um fato isolado para “criminalizar os movimentos sociais”. Em resposta, o governador Beto Richa afirmou que as invasões “ultrapassaram o bom senso e a razão”. Continue lendo

Compartilhe:

Contenção de gastos públicos é fundamental para garantir Educação e Saúde, diz Beto Salame

  O deputado federal Beto Salame (PP-PA) falou na manhã desta terça-feira (25), sobre a votação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita os gastos públicos. Para Beto Salame, a PEC 241 é uma das mais importantes medidas já debatidas no Congresso Nacional. “Desde a Lei de Responsabilidade Fiscal, em 2000, esta casa não enfrenta um debate tão relevante. É urgente que a gente aprove a PEC 241, como forma de ordenar os gastos públicos. Do jeito que está, corremos o risco de quebrar o País”, disse Beto. O deputado paraense lembrou que a dívida pública cresce duas vezes mais rápido que a atividade econômica. “Esse quadro de total descontrole acontece desde 1997, mas é preciso reconhecer que de 2010 a 2015, a dívida pública do Brasil saltou de 50% do PIB para mais de 70%”, afirmou Beto Salame. Segundo Beto, a contenção dos gastos é a única alternativa para recolocar o País no rumo do crescimento. “Vivemos a mais profunda recessão econômica da história e temos um exército de 12 milhões de desempregados. O resultado é a redução das receitas derivadas dos impostos. Como o governo costuma gastar muito e gastar mal, a conta não fecha. Em tempos de crise como o que vivemos é fundamental a contenção dos gastos públicos, como forma recuperar a confiança dos investidores, reequilibrar as contas públicas e preparar as bases para um crescimento econômico sustentável de forma responsável. E a única maneira de alcançar esses objetivos é aprovando a PEC 241”, explicou…

Capitão do tri, Carlos Alberto Torres morre aos 72 anos

Faleceu nesta terça-feira, aos 72 anos, no Rio de Janeiro, o capitão do tricampeonato da seleção brasileira, Carlos Alberto Torres. De acordo com o SporTV, onde o ‘Capita’ era comentarista, ele foi vítima de um enfarte fulminante. Ainda não há informações sobre velório e enterro. Sua última aparição na TV foi no domingo, após a rodada do Brasileirão. Torres é considerado um dos maiores laterais-direitos da história – para muitos, o melhor deles. O capitão do tri atuou profissionalmente por quase uma década e chegou a ser campeão com o Flamengo, Botafogo e Fluminense como treinador. Desde 2005, entretanto, estava afastado dos gramados como técnico e trabalhava apenas como comentarista. O Capita começou a carreira no Fluminense, saindo de lá aos 22 anos, já como um dos melhores do País. Tinha características ofensivas, algo então raro para um lateral. Em 1963, estava na seleção brasileira que ganhou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos disputados em São Paulo. No ano seguinte, ganhou o Carioca pelo Flu. A melhor fase da carreira, entretanto, foi pelo Santos, clube que defendeu entre 1965 e 1975, com um breve intervalo para passar um ano no Botafogo. No time praiano, atuou por 445 vezes, sendo o 11.º com mais partidas, atrás apenas de outros contemporâneos da Era Pelé e do ex-lateral-esquerdo Léo. Depois de brilhar na Vila Belmiro, voltou para o Fluminense, ganhando mais dois Campeonatos Cariocas, em 1975 e 1976. Na parte final da carreira, passou também pelo Flamengo e se aventurou nos Estados Unidos, jogando pelo New York…

PA: Motoristas do sudeste buscam gasolina mais barata no MA

Os motoristas que trafegam na região sul e sudeste do Pará estão deixando de abastecer os seus veículos nos postos de combustíveis no estado e indo abastecer no Maranhão. Isso porque o preço da gasolina no estado vizinho está em média R$ 0,21 mais barato.

Nos postos de combustíveis de Dom Eliseu, no sudeste do Pará e que faz divisa com o estado do Maranhão, a gasolina custa, em média, R$ 4,10, já na cidade de Itinga, que fica no estado vizinho e apenas 18 quilômetros de Dom Eliseu, o preço médio da gasolina custa R$ 3,89, diferença de R$ 0,21 por litro do combustível

Compartilhe:

Bebês nascidos no Regional de Marabá poderão fazer o Teste do Pezinho no hospital

A partir de novembro, as crianças nascidas no Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, terão acesso ao Teste do Pezinho dentro da unidade. O serviço é resultado de uma parceria entre a instituição e a Secretaria Municipal de Saúde, firmada na última quinta-feira, 20/10, durante visita da coordenadora de Saúde da Mulher de Marabá, Camila Lopes Chagas, e de Ludimilia Martins, também representando a Prefeitura Municipal de Marabá. Elas foram recebidas na unidade pelo diretor Geral, Valdemir Girato, e pelo diretor de Enfermagem, Leisson Pinheiro.  Antes de ser iniciado o serviço, no dia 3/11, enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos do HRSP serão capacitados por profissionais do município. O Teste do Pezinho é realizado a partir de gotas de sangue coletado do calcanhar do bebê para diagnosticar precocemente doenças como a fenilcetonúria, o hipotireoidismo congênito, a fibrose cística e a anemia falciforme, que afetam o desenvolvimento físico e mental do indivíduo. A coleta do material será feita no hospital por servidores da Prefeitura de Marabá. O serviço beneficiará recém-nascidos que, por complicações no parto, ficam internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do HRSP, ultrapassando o período ideal de realização do exame, que é até o quinto dia de vida da criança. Atualmente, a taxa de ocupação da UTI é de 94,42%. “Nos já vínhamos buscando essa parceria com o município justamente para identificar as doenças diagnosticadas pelo teste. Este é mais um projeto para a melhoria da assistência e, a partir da semana que vem, começaremos…

PEC 241 MANIFESTANTES FECHAM PONTE EM PROTESTO

Um grupo de professores universitários, alunos e servidores municipais de Marabá protestaram contra o governo federal e municipal nesta segunda-feira (24), em combate à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 em frente à sede do Fórum, no núcleo Cidade Nova. Eles bloquearam a passagem de veículos pela Transamazônica BR-230 nos dois sentidos da ponte sobre o Rio Itacaiúnas e ainda foram até a residência do deputado federal Beto Salame protestar e picharam o portão da casa dele. Como parte da agenda nacional de lutas contra a PEC 241, movimentos sociais e estudantis secundaristas e universitários, sindicatos, servidores públicos federais, servidores municipais da saúde e população em geral de Marabá – PA protestavam hoje na Rodovia Transamazônica (BR -230). A ação teve como objetivo dialogar com a comunidade local sobre as consequências da referida PEC, que traz diversos malefícios para toda a classe trabalhadora brasileira. Os manifestantes fechavam, por três minutos, a Rodovia, tempo em que entregavam informativos para os motoristas e motociclistas, voltando a liberar a via por quatro minutos, garantindo, desse modo, a circulação de informações, sem ferir o direito de ir e vir. As informações veiculadas dão conta de que a PEC 241 congela as despesas referentes aos serviços primários (saúde, educação, transporte, saneamento básico) por 20 anos, com cifras reajustadas pela inflação, o que, na prática, reduz o investimento em serviços públicos essenciais. O ato, iniciado às 9h da manhã, teve duração de 3 horas e contou com a participação de aproximadamente 400 pessoas. Esses atos que vêm ocorrendo por todo…

77% das cidades brasileiras estão com as contas no vermelho

Passado o segundo turno das eleições, a situação financeira das prefeituras virá à tona. De 3.155 municípios que informaram o quadro de suas finanças ao Tesouro Nacional, 2.442, ou 77,4%, já estão com as contas no vermelho, segundo levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). E a situação vai piorar até o fim do ano, com a contínua queda da arrecadação, deixando a bomba fiscal para a próxima administração. As informações são do Estadão.

Ao contrário dos governadores, que alardearam nos últimos meses a crise sem precedentes nos seus cofres para ganhar mais dinheiro do governo federal, as prefeituras empurraram os problemas para debaixo do tapete durante a campanha eleitoral – não é exatamente um trunfo eleitoral mostrar que as finanças estão descontroladas.

Os futuros prefeitos, que vão herdar o rombo – no caso dos reeleitos, deles mesmos -, fizeram uma romaria nos últimos dias pelos gabinetes do Congresso em busca de dinheiro para 2017. Mas, com o teto de gastos já aplicado ao Orçamento federal do ano que vem, se depararam com uma grande dificuldade em emplacar seus pedidos de emendas aos deputados e senadores. Continue lendo

Compartilhe:

PEC acaba com 15 partidos

Na ressaca das eleições, o Senado dará prioridade à PEC que cria uma cláusula de barreira, que não só irá desestimular a criação como ameaçará o funcionamento pleno de pelo menos 15 dos 28 partidos políticos com representação no Congresso. O desempenho nas urnas será pré-requisito para ter representação na Câmara, tempo de rádio e televisão e, sobretudo, acesso aos recursos do fundo partidário. As informações são do Metro/Curitiba.

Para não sofrer a ‘degola’, as legendas serão obrigadas a atingir, no mínimo, 3% dos votos válidos em todo país e 2% em pelo menos 14 Estados. Caso as regras estivessem em vigor nas últimas eleições estaduais e nacionais, em 2014, partidos tradicionais teriam sido afetados, como PV, PPS, Psol e PCdoB, além de outras pequenas legendas, segundo levantamento do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar).

A proposta não necessariamente extingue o partido, mas, sem direito a estrutura de liderança na Câmara, tempo para propaganda partidária e, sobretudo, financiamento público, o funcionamento da sigla ficaria inviável. O deputado eleito por um partido que não atingiu a cláusula poderá mudar de legenda sem ser punido com perda de mandato por infidelidade partidária. Continue lendo

Compartilhe:

Inscrições para Corrida e Caminhada do Aço 2016 começam nesta segunda-feira (24)

A tradicional Corrida do Aço, realizada anualmente pela SINOBRAS, em Marabá (PA), já tem data para acontecer. Será no próximo dia 6 de novembro, ocasião em que a empresa comemora 10 anos de atuação no Pará. Neste ano, além da corrida, os interessados em participar do evento terão a opção de seguir em caminhada que acontecerá simultaneamente. A iniciativa pretende reunir atletas profissionais e amadores, em comemoração ao início da produção de aço no Pará. A competição também visa promover a cultura da saúde e da qualidade de vida. As inscrições poderão ser feitas a partir desta segunda-feira (24). A largada da prova será às 7 horas, saindo da Praça São Félix de Valois, seguindo pela Avenida Marechal Deodoro, passando pelas ruas Silvino Santis, 7 de junho, travessa Lauro Sodré, Barão do Rio Branco, travessa 15 de novembro até chegar novamente ao mesmo ponto de largada. Ao todo, serão 7 quilômetros de percurso. Na edição 2016, serão entregues R$ 7.500,00 em premiação, além de medalhas e troféus. As provas da corrida serão divididas em masculino e feminino, SINOBRAS e Comunidade e nas faixas etárias de 18 a 40 anos e de 41 anos em diante, com premiações específicas em dinheiro para os 1°, 2° e 3° lugares de cada categoria. Haverá ainda espaço para equipes competirem, sendo que a vencedora será a que obtiver a maior pontuação na soma dos dez maiores tempos. A SINOBRAS espera 500 inscritos para a corrida e 100 participantes na caminhada. As inscrições para o evento poderão ser feitas nos…