Ação social e de saúde realiza mais de 500 atendimentos

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP) foi uma das instituições parceiras da ação social e de saúde realizada neste sábado, 24/9, na escola Professora Albertina Sandra Moreira dos Reis, no bairro da Folha 6, em Marabá. Mais de 500 atendimentos foram realizados durante a programação. O HRSP disponibilizou à comunidade consulta médica, avaliação nutricional, aferição de pressão e teste de glicemia. Cláudia Alves da Cruz, de 43 anos, também aproveitou a programação para fazer umcheckup. Antes das dez horas, ela já tinha verificado a pressão e o nível de glicemia e passado pela consulta médica e nutricional. “A gente tem é mais que aproveitar isso porque, para quem trabalha e não pode faltar ao serviço, como eu, não é sempre que dá para ir ao médico. Faz tempo que eu estava precisando de uma consulta. Essa noite mesmo não me senti bem”, explicou Cláudia. Também graças à ação de saúde realizada neste sábado, na Folha 6, que a doméstica Francisca de Assis Silva, de 55 anos, percebeu que estava tomando o medicamento de forma incorreta. Ela chegou ao consultório com a taxa de glicose altíssima e dores no estômago. ‘Estava sentindo uma queimação, não agüentava mais. Hoje nem tinha tomado o remédio justamente por isso. Ai quando cheguei na ação a médica me mostrou que eu estava tomando errado o remédio. Achei tudo maravilhoso aqui”, disse. Extra-muro A ação social e de saúde contou com o apoio do HRSP por meio do projeto “Hospital Regional Amigo da Comunidade”, que é…

Será?

“Não é a política que faz o candidato virar ladrão. É o seu voto que faz o ladrão virar político”. Frase de uma campanha em Campo Mourão chamada “Educação pela Cidadania” com apoio de várias entidades, incluindo OAB e Associação Comercial. Pelo contexto, acaba generalizando e colocando todos os políticos ou pretensos políticos como ladrões.

Compartilhe:

Ministério Público Federal identifica irregularidades em contas eleitorais

O Ministério Público Federal (MPF) gerou 65.268 relatórios com indicativos de irregularidades na arrecadação de recursos de campanha para as eleições de 2016. O número representa 13% do total de candidatos. As informações foram reunidas pelo sistema Sisconta Eleitoral, no módulo Conta-suja, usado pela primeira vez este ano.

Entre as irregularidades encontradas estão doadores inscritos em programas sociais do governo ou como desempregados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Também foram verificados casos de doações feitas por mortos.

Empresas também estão na mira da fiscalização. O sistema cruza dados de sócios, diretores e responsáveis por empresas e organizações recebedoras de recursos públicos que aparecem como doadores de campanha. Muitos funcionários de uma mesma empresa financiando campanha também desperta a suspeita em relação a doação camuflada.

O relatório do Conta-suja está sendo enviado os membros do Ministério Público Eleitoral. Ao ter acesso a essas informações, cabe ao promotor eleitoral avaliar a situação e realizar as diligências necessárias para a confirmação dos indícios

Compartilhe:

Bloqueio de trecho da rodovia Transamazônica, no PA, entra no 3º dia

Cerca de 150 índios Parakanã interditam pelo terceiro dia, neste domingo (25), um trecho da rodovia Transamazônica, na ponte do Bacuri, que liga os municípios de Marabá e Novo Repartimento, no sudeste do Pará.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), equipes policiais do posto de Marabápermanecem na área negociando a liberação da rodovia. Os indígenas reivindicam melhores condições de saúde e mais médicos, além de pavimentação das estradas que dão acesso às aldeias e energia elétrica.

De acordo com o cacique Kwatine Parakanã, as condições em que vivem os quase 500 índios da reserva Parakanã ficaram precárias após eles terem sido remanejados da área em que viviam antes da construção da Hidrelétrica de Tucuruí.

O grupo afirma que só irá liberar a rodovia com a chegada de representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai). O protesto é considerado pacífico. O G1 entrou em contato com o representante regional da Funai no Pará, porém, ele não foi localizado para comentar o assunto.

De acordo com a PRF, os agentes estão orientando os motoristas a evitarem o trecho bloqueado, conduzindo-os a seguir por um desvio de cerca de 150 quilômetros dentro do município de Novo Repartimento.

Compartilhe:

Ex-ministro Antonio Palocci é preso em nova fase da Operação Lava Jato

O ex-ministro Antonio Palocci (PT) foi preso nesta segunda-feira (26) durante a 35ª fase da Operação Lava Jato, batizada de “Omertà”. Palocci é alvo porque, segundo as investigações, pediu ao doleiro Alberto Youssef R$ 2 milhões da cota de propinas do PP  para a campanha presidencial da presidente Dilma Rousseff em 2010. A denúncia foi feita pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. Palocci foi ministro da Fazenda do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da Casa Civil do governo Dilma. Há indícios de que Palocci teria atuado como intermediário entre grupo político ligado à empreiteira Odebrecht, de acordo com a PF. O ex-ministro teria propiciado vantagens econômicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o poder público, “tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos”, segundo a PF. Dentre as negociações identificadas, diz a PF, “foi possível delinear as tratativas entre o Grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009 (que resultaria em imensos benefícios fiscais), aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano –com a qual a empresa tinha relações comerciais–, além de interferência no procedimento licitatório da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal”. Outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado “setor de operações estruturadas” do Grupo Odebrecht para diversos beneficiários. Eles são alvo de medidas de busca e condução coercitiva. “São apuradas as práticas, dentre outros crimes, de corrupção, associação criminosa e…

Abertura Oficial – LIQUIDA GERAL Marabá 2016

O lançamento da campanha promocional ocorreu no Centro de Atividades Paulo Cesar de Carvalho Lopes – Sesc Marabá.
O Conselho de Jovens Empresários (Conjove) de Marabá lançou na noite de quinta-feira, o Liquida Geral Marabá, uma promoção de vendas ao consumidor que ocorrerá nos dias 7 e 8 de outubro.
O lançamento contou com a presença dos diretores da ACIM, Conjove e Sindicom, Sicom, Sebrae, Patrocinadores e a imprensa.
Na oportunidade foi feita a apresentação das peças publicitárias e anunciado todo o cronograma da campanha.
Segundo o presidente do Conjove, Caetano Reis, o objetivo é oferecer grandes descontos nas compras no comércio Marabaense e, consequentemente, oxigenar este setor que vem passando, assim como outros, grandes dificuldades.
O presidente da ACIM, Ítalo Ipojucan, falou que esta promoção chegou numa boa hora para todos os comerciantes de Marabá, assim como para os consumidores.
Já o Gerente do Sebrae Marabá, Delzimar Braga, acredita no sucesso da campanha como Vetor de um novo Natal, antecipado, para os empresários que estão fazendo a adesão da campanha.
Para Marcelo Araujo, Secretário Municipal – SICOM, esse evento tem tudo para dar certo e se tornar parte do calendário empreendedor de Marabá para os próximos anos, assim como já é o Feirão do Imposto, também realizado pelo Conjove.
E Raimundo Neto, do Sindicom, destaca a união das entidades do comercio em prol do aquecimento do comercio.
As adesões irão até a segunda-feira, dia 26/09, na Sede da ACIM, para mais informações, 3321-1020 ou acim@acimmaraba.com.br.

Compartilhe:

Celpa tem plano de ação para as Eleições 2016, no sudeste e sul do Pará

  O trabalho da concessionária contará com equipes extras para resolver situações emergenciais no dia da eleição   Com o intuito de garantir maior segurança no que diz respeito ao fornecimento de energia elétrica, a Celpa montou um plano de ação para as eleições 2016, nos municípios do sudeste e sul do Pará. Com base em um conjunto de operações, a ideia é evitar contratempos nas áreas de grande concentração de eleitores e nos locais onde ocorrerão as apurações dos votos. O plano também estabelece que situações emergenciais sejam resolvidas no menor tempo possível.  Para isso, a concessionária disponibilizará dezenas de equipes de plantão em todo o Estado, para solucionar qualquer eventualidade. Só em Marabá, a empresa disponibilizará cerca de dez equipes para atender demandas para regularização no fornecimento de energia, caso ocorram. Operadores atuarão de sobreaviso nas subestações Marabá e Cidade Nova. Essas estações atendem diversos bairros da cidade. As linhas de transmissão de Marabá, Morada Nova e Cidade Nova também receberão uma atenção espacial no dia da eleição. Além desses pontos, a concessionária firmou uma parceria para dar suporte operacional nas sedes do Tribunal Regional Eleitoral-TRE de Marabá, Parauapebas, Tucuruí e Redenção. Os representantes da concessionária que estiverem nesses locais terão contato direto com a Central de Operações da empresa, caso surjam ocorrências. De acordo com o executivo da área de Serviços de Rede da Celpa, Carlos Ivan Dias, a empresa também se preocupou com o trabalho preventivo. “Além de profissionais extras que atuarão nos casos de eventualidades, nós também iniciamos ações de…

Câmara dos Deputados retira da pauta projeto que poderia anistiar caixa 2

A Câmara dos Deputados tentou votar na noite desta segunda-feira um projeto que, na prática, poderia anistiar o caixa dois eleitoral – o uso de dinheiro não declarado à Justiça em campanhas. A reabertura da discussão do projeto de Lei 1210/07 ocorreu de surpresa e revoltou parte dos parlamentares. Diante da pressão, o primeiro-secretário Beto Mansur (PRB-SP), que presidia os debates, retirou o projeto da pauta e encerrou a sessão. As informações são da Veja.

O texto da proposta criminaliza a prática do caixa dois eleitoral, mas, na avaliação de parlamentares contrários ao projeto, também anistiaria todas as práticas irregulares adotadas antes da lei entrar em vigor. O entendimento parte do princípio que, se o caixa dois for criminalizado a partir de agora, a lei não pode retroagir em desfavor do acusado.

Revolta
A reabertura da discussão sobre a proposta que tramita desde 2007 foi encarada como uma manobra e atacada por parte dos deputados, principalmente os da Rede e do Psol. Continue lendo

Compartilhe:

PESQUISAS ELEITORAIS FALSAS E OUTRAS ARMAÇÕES; BATEU O DESESPERO

De Marabá a Parauapebas, de Altamira a Rurópolis, apenas para ficar nos mais conhecidos, fraudes foram montadas na tentativa de enganar eleitores e fazê-los acreditar em números manipulados por candidatos que agem no desespero, utilizando os nomes de institutos ou de pessoas nas manobras ilícitas. Em Parauapebas, três pesquisas comprovadamente falsas já foram descobertas, com o desmentido de institutos cujos nomes foram usados para registro junto ao Tribunal Regional Eleitoral. O Instituto Ito, de Porto Alegre (RS), o Instituto Gauss, de Palmas (TO) e o Instituto Escutec, de São Luís (MA) tiveram seus nomes arrolados nas fraudes. Apenas o Instituto Ito, até agora, publicamente desmentiu que esteja a realizar pesquisa em Parauapebas. O Gauss não responde ao telefonemas feitos, assim como o Escutec, que supostamente teria registrado no TRE do Maranhão uma pesquisa feita em Parauapebas, no Pará. O que no mínimo é tão estranho quanto absurdo, pois a legislação eleitoral não permite que pesquisa registrada num Estado seja feita em outro. Em Marabá, o Instituto Vox Populi, citado nas redes sociais como contratado para realizar pesquisa no município, desmente a armação. Em Altamira ocorre de candidatos divulgarem resultados com citações de institutos que negam ter feito pesquisa na região. Pior ocorreu em Rurópolis, onde o nome de um jornalista de Belém, que assessora um órgão federal, apareceu como autor de desembolso de R$ 12 mil para pagar suposta pesquisa. “Eu estou doente, estive hospitalizado, e usaram meu nome nessa fraude”, declarou o jornalista, Ele informou já ter pedido à Polícia Federal para investigar o…

Vazamento do Yahoo! pode ter afetado 200 milhões de usuários

O Yahoo! está prestes a confirmar um mega vazamento de dados de usuários, informou a mídia especializada nesta quinta-feira. Segundo fontes ouvidas pela revista “Recode”, mais de 200 milhões de usuários podem ter sido afetados pelo ataque hacker que será anunciado ainda nesta semana.

Venda do grupo para a Verizon, por cerca de US$ 4,8 bilhões pode estar ameaçadaReprodução Internet
A confirmação da invasão de seus registros pode afetar seriamente a negociação para a venda do grupo para a Verizon, por cerca de US$ 4,8 bilhões, negociada em julho e que está prestes a ser finalizada.
As primeiras informações sobre o ataque hacker começaram a circular em agosto, quando um dos responsáveis pela ação dizia estar vendendo o cadastro com mais de 200 milhões de usuários do Yahoo!. No entanto, a empresa sempre negou essa falha na segurança de seus dados.

Compartilhe: