Marabá receberá nova instituição de ensino superior a distância

Marabá receberá nova instituição de ensino superior a distância A partir desta quarta-feira (14), a população de Marabá passa a contar com uma nova instituição de ensino superior. Trata-se do Centro Universitário Unicesumar, que oferecerá 37 cursos de graduação e 34 cursos de pós-graduação na modalidade de educação a distância (EAD). O polo Unicesumar fica localizado na Folha 28, Quadra 0, Lote 15 – Nova Marabá, representado através de uma estrutura ampla e moderna, que garantirá ao estudante os mais variados recursos tecnológicos de estudo em benefício do aprendizado. A unidade faz parte do projeto de expansão e fortalecimento da Unicesumar por todo o Brasil, que recentemente obteve a aprovação do Ministério da Educação (MEC) para a abertura de mais 186 polos. Hoje o centro universitário atua com 80 unidades. Além disso, está posicionada entre as melhores instituições de ensino superior do país, segundo avaliações do MEC. Em Marabá, por exemplo, possui a mais elevada nota de Índice Geral de Cursos (IGC) dentre todas as instituições de ensino presentes na cidade. O diretor do polo Sérgio Moraes, não esconde o entusiasmo em representar a Unicesumar em Marabá. “Mesmo em um momento econômico conturbado pelo qual estamos passando, trouxemos um polo a esta cidade que demonstra grande capacidade de superação dos desafios econômicos e sociais. Sem dúvida, a maior riqueza de Marabá é o seu povo. As pessoas aqui são corajosas, determinadas e têm sede de conhecimento. É isso que nos motiva a investir na educação, pois acreditamos no potencial libertador e transformador do conhecimento nas…

BRESSAN: UMA LIDERANÇA ÉTICA DO PT

  Nestas eleições é sentida a ausência como candidato de Luiz Bressan – gaúcho que adotou Marabá como sua terra, aqui casou e teve um casal de filhos, graduado em Filosofia, Mestrando em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia – UNIFESSPA – Campus Marabá, Especializado em Gestão da Administração Pública e Educação Ambiental. Sua principal atuação profissional se deu por mais de 20 (vinte) anos como Educador Popular na ONG Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE) em Marabá. Depois atuou em âmbito regional no Governo de Ana Júlia. Se candidatou pela primeira vez em 2008 chegou a 767 sufrágios. Primeiro suplente de Vereador do Partido dos/as Trabalhadores/as (PT) tendo obtidos 1.222 votos (bateu na trave) em 2012. Presidiu o Diretório Municipal do PT. Foi Secretário Municipal de Educação da gestão do prefeito João Salame. Rompeu com o casal vice-prefeito Luiz Carlos Pies “Chapeuzinho” e a deputada estadual Bernadete ten Caten (PT), com quem mantinha uma relação de irmandade há mais de 20 (vinte) anos. Em 2014 saiu candidato para deputado estadual chegou 1.739 sufrágios em Marabá. O prefeito João lhe manteve numa assessoria, chegando até ser ouvidor do município, na interinidade do Chapeuzinho ficando poucos dias como Secretário de Planejamento. No momento está fora do Governo de Salame que lhe exonerou mais uma vez. Nas eleições de 2016 tem participado de eventos dos/as candidatos/as que já lhe apoiaram politicamente: Tiao Branco, Cyndi, Arrais, Ilker. Mas já participou de reunião do professor Pedro Souza declarou apoio. Também participou do lançamento do Zuca. Tem…

Zona Rural cobra mais atenção do poder público

                O final de semana inteiro foi dedicado à Zona Rural de Marabá, o candidato Dr. Jorge Bichara, da Coligação “Certeza de um Tempo Novo”, visitou as Vilas Capistrano de Abreu, São Pedro, Santa Fé, Vila Seca, Serra Azul, Vila Tainá, Macaco Careca e os PA’s Bandeirante, Maravilha e Volta Grande, localidades com distâncias do centro da cidade entre 10 a 50 quilômetros. As principais queixas dos moradores são a construção de postos de saúde, água encanada, infraestrutura para melhorar a venda dos produtos agrícolas como caminhão para o transporte dos alimentos e melhores estradas.                 Já na última sexta-feira, dia 09, Jorge Bichara participou de caminhada na Vila do Murumuru, cerca de 20 quilômetros do centro do município. Lá também são várias as reivindicações, Luzia Aparecida Neves denunciou que a escola do local precisa com urgência de uma reforma. Já o aposentado Iredo Nunes revela que a maior necessidade é concluir a pavimentação da estrada principal que está inacabada. “O mais urgente é acabar de completar essa estrada de asfalto, também a ponte que está caindo, dá para passar mais é o maior risco de acidentes”, declarou Seu Iredo.                 Falando nisso, o agricultor Antônio da Silva (Antônio do Vasco) que mora na Vila Pau Seco, próximo da Vila Murumuru, reclamou de três pontes na localidade. Segundo ele, elas estão tão ruins que os moradores têm até medo de passar de motocicleta.                 Durante a caminhada foram muitas as demonstrações de apoio, entre elas a de Renato Mendes. Após ouvir as propostas do candidato,…

Escola “Tereza Donato de Araújo” realiza 11ª Ação Cidadania

O Centro Educacional de Jovens e Adultos (Ceja) “Professora Tereza Donato de Araújo” realiza no próximo sábado (17), de 8h às 12h, a 11ª Ação Cidadania, projeto desenvolvido naquele estabelecimento de ensino e que já faz parte do Calendário Escolar e da comunidade. Este ano o tema é “Ética Social e Solidariedade”.

Para a diretora da escola, Kátia Maria Pereira de Oliveira, um dos objetivos da Ação Cidadania é contribuir para a formação de uma cultura que defenda valores, atitudes e práticas sociais que despertem os direitos do cidadão em todos os espaços.

“Assim, a escola pode contribuir significativamente na consolidação de uma sociedade que afirme valores como liberdade, justiça, igualdade, solidariedade, preservação da natureza, conhecimento e busca por melhorias das áreas urbanas da cidade”, afirma a diretora.

A operacionalização do projeto se dá durante todo um semestre letivo e no primeiro bimestre, em conjunto com a comunidade, é escolhido o tema e são desenvolvidas várias ações com a participação dos alunos.

A Ação Cidadania hoje é o maior projeto desenvolvido pela Escola “Tereza Donato”, que, em parceria com outros estabelecimentos de ensino, acaba realizando uma iniciativa interescolar cuja meta é estimular, como o próprio nome diz, estimular o exercício da cidadania em suas mais diversas formas, envolvendo a comunidade por meio de manifestações culturais,artísticas, educativas, filosóficas e políticas.

Compartilhe:

CHINESES QUEREM TERRAS DO PARÁ PARA PLANTAR SOJA

O Pará e o Mato Grosso estão na mira de grupos chineses interessados na compra de terras para expansão do agronegócio. Na recente viagem que fez à China, o ministro Blairo Maggi ouviu que a Hunan Dakang, gigante chinesa do agronegócio, deseja expandir sua atuação no Brasil. Ela já tem participação numa empresa em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, e quer comprar outras naquela região. Naquela área são produzidas cerca de 100 milhões de toneladas de grãos por ano. As empresas japonesas já tem uma atuação forte por ali. A Sogitso, por exemplo, tem uma associação com a companhia Cantagalo, de Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente José Alencar. Agora é a vez das chinesas. Outra que vai aumentar sua participação por aqui é a Cofco Agri, controlada pela estatal de alimentos da China. No caso do Pará, os representantes de chineses, japoneses e coreanos percorrem regiões do sudeste e do oeste do Estado observando áreas propícias ao plantio de soja e milho. Há terras cujos preços variam entre R$ 2,5 mil e R$ 8 mil o hectare, mas os  estrangeiros são exigentes quanto à documentação. Nesse quesito, as informações não são as melhores. Corretores oferecem terras cuja origem não pode ser comprovada. Ou seja, são terras griladas ou com documentos montados em cartórios. Em resumo: é roubada comprar terras sem cadeia dominial e localização definida por georreferenciamento. Na Internet há venda de terras para todos os gostos e por preços astronômicos. Dá para desconfiar. Antes de fechar qualquer negócio, o certo é procurar o…

MARABÁ:Professores realizam protesto

Na manhã desta segunda-feira (12) os trabalhadores da educação protestaram mais uma vez em frente à Prefeitura Municipal de Marabá com dezenas de servidores que levantaram faixas e cartazes. A reivindicação é contra o atraso no salário referente ao mês de agosto e a categoria ameaça uma nova greve no município caso não recebam o pagamento.Na Manha desta terça feira treze setembro, o protesto é frente  e no interior  da câmara de vereadores junto com outras categorias  que sofrem  com atraso de pagamento. Os educadores  não  foram ouvidos, segundo  informações do Sintep  não teve sessão porque o sistema de climatização está passando por reparos. Segundo a coordenadora do Sindicato dos servidores da Educação Pública do Pará (Sintepp), Tatiana Alves, são dois meses de salários atrasados, contando com o mês de julho, onde parte dos recebimentos de 1175 professores foi retirado e não foi devolvido. “Estamos com uma pauta bem extensa, a principal tem sido diante da precária situação financeira do trabalhador. Já propomos uma agenda de pagamento e a secretaria nada apresenta”, conta Tatiana. Os agentes de portarias também aderiram ao movimento dos professores na Praça da Prefeitura reivindicando os cortes nas horas extras. Eles afirmam que com isso não poderão trabalhas aos finais de semana e que a Prefeitura quer que os servidores trabalhem 12 horas diárias e não mais às 6 horas, de acordo com o regimento municipal. “Isso gera uma revolta na gente porque além de ter nossas horas cortadas temos nossas contas para pagar, nossos salários até hoje estão atrasados”, revela…

HPEG receberá troféu por engajamento na preservação ambiental

Nesta quinta-feira, 15/09, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) receberá uma homenagem especial e um troféu pelo seu engajamento na campanha internacional ‘Desafio 2020: a Saúde pelo Clima”, coordenada pela Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis. A cerimônia de premiação ocorrerá durante o IX Seminário Hospitais Saudáveis, no Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Após aderir ao movimento e criar um inventário das emissões de dióxido de carbono (CO2) na unidade em 2015, o HPEG se comprometeu em reduzir as emissões em 20% até 2020, tornando-se uma das primeiras instituições brasileiras de saúde a combater o aquecimento global. O levantamento foi realizado com base no método mais usado mundialmente para a mensuração de gases de efeito estufa, o GHG Protocol, a partir de dados como combustão estacionária (óleo diesel utilizado no gerador, gás de cozinha e gasolina), consumo de energia elétrica, resíduos sólidos e emissões fugitivas (gases de refrigeração e extintores de incêndio). Para o diretor Geral do HPEG, Saulo Mengarda, a participação na campanha é motivo de orgulho para os profissionais da unidade. ‘É necessário que todos nós entendamos a urgência em trabalhar com a redução do nosso impacto no meio ambiente, não podemos mais esperar em fazer algo que possa melhorar as condições em que nós e nossos filhos viveremos, as mudanças já estão ocorrendo. É nesse sentido que o hospital se sente orgulhoso em participar deste movimento. Com isso temos a certeza de que estamos fazendo a nossa parte e incentivando outros para que façam o mesmo, assim faremos…