Vale conclui a venda de participação minoritária na CSA para Thyssenkrupp

A Vale informa a conclusão da transação anunciada em 04 de abril de 2016, transferindo a sua participação de 26,87% na Companhia Siderurgica do Atlântico (CSA) para Thyssenkrupp.

 

Como resultado da conclusão desta transação, os direitos minoritários e outros direitos participativos da Vale nos acordos de acionistas existentes da CSA e outros contratos operacionais entre a Vale e a CSA deixarão de existir, com a exceção do contrato existente de compra e venda de minério de ferro entre ambas as partes.

Compartilhe:

Prazo para Dilma entregar defesa do impeachment termina nesta quarta

Vinte dias após a abertura do processo de impeachment pelo Senado, vence nesta quarta-feira (1º) o prazo para a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) entregar sua defesa das acusações de que cometeu crime de responsabilidade ao praticar as chamadas “pedaladas fiscais” e ao editar seis decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso.

No documento, a defesa de Dilma deve alegar que os atos não configuram crime de responsabilidade e que o processo de impeachment tem “vícios de origem”, porque teria sido aberto por “vingança” pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Na quinta-feira (2), a comissão especial do impeachment se reúne para discutir o cronograma de atividades do colegiado nesta etapa do processo – chamada de pronúncia –, na qual os parlamentares decidem se a denúncia contra Dilma é ou não procedente e se deve ou não ser levada a julgamento final.

Na semana passada, o relator do caso, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), apresentou proposta de cronograma no qual o Senado decidiria se leva ou não o processo a julgamento entre os dias 1º e 2 de agosto.

Senadores a favor do impeachment querem agilizar as atividades e concluir esta segunda fase em julho. Parlamentares que apoiam Dilma, no entanto, consideram curto o prazo de trabalho desta etapa da comissão.

Nesta parte intermediária do processo, a comissão realizará diligências, coletará provas e ouvirá testemunhas de defesa e de acusação – para, depois, elaborar um relatório sobre a denúncia.

Fonte: G1

Compartilhe:

Dirigir cinquentinha sem habilitação dá multa de R$ 574 a partir desta quarta-feira

Agora é para valer. A partir desta quarta-feira (1º), o condutor das motos de até 50 cilindradas, conhecidas popularmente como cinquentinhas, terá que estar habilitado. Quem for pego sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria A ou ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotor) pagará multa de R$ 574, estará cometendo infração gravíssima (7 pontos) e terá o veículo apreendido. A multa equivale ao valor da penalidade por infração gravíssima, R$ 191,54, multiplicado por três. A exigência da habilitação deveria ter entrado em vigor em fevereiro, mas o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) voltou atrás e prorrogou o prazo para o dia 31 de maio. Desde o dia 1º de março o Detran-PE estava realizando blitzes para fiscalizar a habilitação dos ciclomotores e só no primeiro dia de abordagens 13 veículos foram apreendidos. Porém, com a decisão do Contran a ação foi suspensa.   Para facilitar a formação do condutor de cinquentinha, o Contran reduziu a carga horária prática e teórica exigida para tirar a ACC, tornando o processo mais ágil e barato. A resolução reduziu a carga horária exigida para a autorização de 45 horas/aula teóricas e 20 horas/aula práticas para apenas 20 horas/aula teóricas e 10 horas/aula práticas. As provas tiveram uma redução de 30 questões para 15, exigindo um percentual de acerto de 60%. O candidato precisa acertar apenas nove e não mais 21 questões. Com isso, o valor para tirar uma ACC foi reduzido. Até então, retirar uma ACC significava seguir o mesmo processo e pagar o mesmo valor de retirada de…

#EuSouSobrevivente: mulheres relatam casos de violência sexual

Campanha foi feita após o caso chocante de uma adolescente estuprada por 33 homens no Rio de Janeiro A notícia da adolescente que sofreu um estupro coletivo por mais de 30 homens no Rio de Janeiro chocou o Brasil e levantou novamente o debate sobre a cultura do estupro e da violência contra a mulher. Nas redes sociais, a empreendedora e ativista Sabrina de Campos, de 35 anos, compartilhou a história de abuso sexual que viveu há 19 anos, quando tinha apenas 16. O post, divulgado na última sexta-feira (27/5), viralizou nas redes sociais e já acumula mais de 139 mil curtidas e 54.272 compartilhamentos.   Com a #EuSouSobrevivente, ela incentiva que outras mulheres também relatem sobre o que viveram. “Em quase 20 anos já passei por todas as fases de uma sobrevivente de violência, de um crime hediondo: de ter pena do infeliz sendo abusado na cadeia todos os dias, até desejar sua morte nos meus pesadelos. De tentar achar alguma explicação espiritual a pensar que talvez a culpa fosse minha. De silenciar, de sentir vergonha, de fingir que estava tudo bem a mandar tudo à merda e expor mesmo. De ter pânico ao saber que teria uma filha e chorar por semanas, com medo do que poderia acontecer no futuro com ela”, escreveu.   Outras mulheres criaram coragem e também divulgaram suas histórias. Leia mais: ‪#‎eusousobrevivente‬ app-facebook Deborah Cattani no domingo Quem me conhece sabe que falo pouco do assunto ou nunca falei. A primeira vez foi quando eu tinha 14 anos. A…

Desemprego fica em 11,2% no trimestre terminado em abril, aponta IBGE

Foi o pior resultado da série histórica da pesquisa. Em igual período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 8,0%
O número de desempregados cresce de forma exponencial: no trimestre encerrado em abril já eram 11,4 milhões de pessoas sem trabalho no país. Um aumento de quase 2 milhões de pessoas desocupadas em relação ao trimestre anterior (novembro a janeiro). O dado faz parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta terça-feira (31/5), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o pior resultado da série histórica da pesquisa.No trimestre anterior, de novembro de 2015 a janeiro de 2016, o índice correspondia a 9,6 milhões, representando um acréscimo de 18,6%, ou mais 1,8 milhão de pessoas nesse contingente. No confronto com igual trimestre do ano passado esta estimativa subiu 42,1%, significando um aumento de 3,4 milhões de pessoas desocupadas na força de trabalho.

Compartilhe:

Tarifas mais caras Senado aprova MP que transfere rombo de R$ 3,5 bilhões para contas de luz

O Senado aprovou a Medida Provisória 706/2015, que renova a concessão das distribuidoras do grupo Eletrobras e transfere um rombo de R$ 3,5 bilhões dessas empresas para a conta de luz de todos os consumidores nos próximos anos. Se não fosse aprovada nesta terça-feira, 31, a MP 706 iria caducar. Agora, a proposta segue para sanção presidencial. De acordo com o relator da proposta, senador Edison Lobão (PMDB-MA), o custo adicional para os consumidores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste será de 0,2% a 0,3% nos próximos anos. — É uma elevação imperceptível na conta de luz. Em contrapartida, teremos uma solução definitiva para milhões de consumidores — afirmou. A proposta apresentada inicialmente por Lobão previa um custo extra de R$ 14,2 bilhões e exigiria, segundo cálculos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), um novo tarifaço em 2017. A mobilização da Aneel e da indústria, que é grande consumidora de energia, fez com que o texto fosse revisto em busca de um acordo. Pelo texto final da MP 706, as perdas que as distribuidoras têm com roubo de energia — os chamados gatos — serão integralmente repassadas para as tarifas e não vão mais gerar prejuízo para as companhias. As normas da Aneel impunham um limite para essas perdas para evitar que as empresas fossem displicentes. Com a medida, os clientes dessas companhias, que atuam no Amazonas, Roraima e Amapá, passarão a pagar mais caro por um serviço pior. Para evitar que esse custo aumente excessivamente a conta de luz dos usuários da região Norte,…

Bateria em perfeito estado é essencial para o veículo

Ela é a responsável por alimentar todo o sistema elétrico. Sem ela, o veículo não funciona
Com a chegada desse tempo mais frio na nossa região, os proprietários de veículos precisam atentar sobre a importância de uma revisão no sistema elétrico e da própria bateria, para garantir partidas eficientes e fazer o motor funcionar neste período de baixa temperatura.
Se por acaso a bateria chegou ao fim de sua vida útil, ela deve ser substituída por outra com o mesmo padrão, que tenha idêntica capacidade de armazenamento de energia do modelo original. Se a bateria instalada no veículo tem 60 Ah (capacidade igual a 60 Ampères/hora), deve-se observar a informação contida no rótulo e escolher o modelo com capacidade igual ou superior, especialmente se o carro for equipado com muitos dispositivos eletroeletrônicos. Com isso, evitam-se problemas futuros, especialmente com capacidade de armazenamento de energia, potencial de partida e durabilidade do produto.
Pra finalizar, ao substituir uma bateria esgotada, entregue-a à loja onde adquiriu a nova, para que seja encaminhada para reciclagem: são enviadas à fábrica, que seleciona o plástico das caixas e o chumbo para a produção de novas baterias e destina o ácido para uso na agricultura, com absoluta preservação do meio ambiente.

Compartilhe: