23ª Brigada de Infantaria de Selva comemora Dia do Exército

 
De 14 e 19 de abril, a 23ª Brigada de Infantaria de Selva realiza às comemorações do Dia do Exército, celebrado anualmente em 19 de abril. A data marca a vitória brasileira na Batalha de Guararapes, ocorrida no dia 19 de abril de 1648.
A programação iniciou dia 14, quinta-feira, com exposição de material de emprego militar no Shopping Pátio Marabá, aberta ao público e gratuita. A mostra segue até as 22 horas do dia 17.
Homenagem da Câmara Municipal de Marabá
 
Dia 19 de abril, terça-feira, às 08h30, no 52º Batalhão de Infantaria de Selva,tem solenidade militar alusiva ao Dia do Exército, com entrega de  cinco diplomas de Colaborador Emérito do Exército, a personalidades que tiveram relevantes serviços prestados à Força Terrestre.

Compartilhe:

Prefeitura mobiliza quatro secretarias no atendimento a vítimas da “Grota”

Com a palestra “Prevenção à violência sexual contra criança e adolescente”, a Vale, por meio do projeto de Expansão da Estrada de Ferro Carajás, realizou o IV módulo do Programa de Educação Sexual e Promoção da Saúde (PESS).
A iniciativa é voltada para a formação e mobilização da promoção dos direitos de crianças e adolescente e da prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids), gravidez na adolescência, além de temas relacionados a cidadania. A ação foi ao longo desta semana, com mobilização e aplicação de palestra e oficina em Marabá e Parauapebas e nas cidades maranhenses de Vila Nova dos Martírios e São Pedro D’água Branca.
Além da palestra sobre prevenção à violência sexual, ministrada pela psicóloga Margareth de Jesus Costa Santos, mestre em psicologia e terapeuta comunitária, houve uma oficina pela parte da tarde. O jornalista com Fábio Cabral, que é coordenador de projetos do Instituto Formação, pelo qual desenvolve atividades de elaboração, captação de recursos, gestão e execução de projetos, explicou sobre as técnicas de rádio, envolvendo todos os participantes.
A próxima atividade do programa será no período de 3 a 6 de maio nas cidades abrangidas pela ação.  O tema abordado será Participação Social. Nesse encontro será definida a forma de ação nas comunidades para marcar o encerramento do programa, previsto para junho.

Compartilhe:

Prefeitura mobiliza quatro secretarias no atendimento a vítimas da “Grota”

 

Na manhã desta sexta-feira (15), Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec), Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU), Secretária Municipal de Viação e Obras Públicas (Sevop) e Secretária Municipal de Assistência Social (Seasp) uniram-se em diferentes atuações para buscar soluções a fim de minimizar os problemas causados nas folhas 20 e 28 sempre que há transbordamento da Grota Criminosa.

Técnicos da Seasp iniciaram o cadastro socioeconômico dos moradores que estão nas áreas de risco, servidores da Defesa Civil orientaram os moradores quanto aos riscos decorrentes das inundações a aconselharam os moradores a verificarem eventuais comprometimentos da estrutura física das casas.

A SDU está identificando os imóveis construídos sobre a galeria e, em seguida, a Sevop inicia as intervenções que possam colaborar para resolver o problema das enxurradas.

De acordo com Maria Valdemira, moradora da área há vários anos, vários moradores tiveram seus móveis danificados na ultima chuva. “Recebemos com muita alegria esta ação da Prefeitura de Marabá, pois, quando a chuva é muito forte várias casas são atingidas”, disse ela.

A mulher disse não saber se a galeria está cheia de lixo e disse que as pessoas devem ter mais consciência “e não jogar lixo no canal”. (Texto: Filipe Rosa/ Fotos: Dinho Aires – Ascom PMM)

Compartilhe:

Integrantes do MST protestam em trechos de rodovias federais no Pará

Trabalhadores rurais ligados ao Movimento Sem Terra (MST) interditam desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira em (15) um trecho da BR-155 entre Marabá e Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará.

 

O ato faz parte de uma agenda nacional que lembra os 20 anos do assassinato de 19 trabalhadores rurais em confronto com a Polícia Militar, no episódio conhecido como “Massacre de Eldorado dos Carajás”.

 

Além da BR-155, os integrantes do movimento acampam às margens BR-230, em São João do Araguaia. Equipes da PRF foram enviadas aos locais, mas devido a difícil comunicação na região, ainda não há muitas informações sobre as manifestações.

Compartilhe:

‘Os senhores serão nossos libertadores dessa prisão’, diz autor do impeachment

O advogado discursou por cerca de 25 minutos. Ao falar em defesa da abertura do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados, o jurista Miguel Reale Júnior, um dos autores da denúncia contra a presidente Dilma Rousseff, afirmou que os deputados serão os “libertadores” do povo brasileiro. “Os senhores serão nossos libertadores dessa prisão”, disse, próximo ao encerramento de sua manifestação. O advogado discursou por cerca de 25 minutos. A Câmara dos Deputados começou nesta sexta-feira (15) a discutir a abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Em seguida, falou o ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, em defesa da presidente. Superada esta etapa, começam a falar deputados indicados para representar cada um dos partidos. É esperado que essa etapa se alongue até a noite. Reale também buscou mostrar que as chamadas pedaladas fiscais e os decretos de suplementação orçamentária são práticas graves contra a economia do país e devem ser considerados crimes de responsabilidade praticados pela presidente. “As pedaladas não são um mero problema de ordem contábil e administrativa. Foram um recurso utilizado para esconder da nação a situação falimentar do Tesouro Nacional”, disse. “E repetem que não há crime. Eu quero perguntar qual é o crime mais grave: um presidente que coloca em seu bolso uma quantia, ou uma presidente, pela ganância pelo poder, não vê limites?”, afirmou Reale Júnior. A autorização para a abertura do processo de impeachment será votada no domingo. Se receber o apoio de 342 dos 513 deputados, o processo segue ao Senado, que…

“O governo Temer não existirá”, afirma professor da USP

Vladimir Safatle livre-docente do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), Este governo deve cair e todos os que realmente se indignam com a corrupção e o desmando devem lutar sem trégua, a partir de segunda-feira, para que o governo caia e para que o poder volte às mãos da população brasileira. Àqueles que estranham que um professor de universidade pública pregue a insubmissão, que fiquem com as palavras de Condorcet: “A verdadeira educação faz cidadãos indóceis e difíceis de governar”. Chega de farsa.
 

Michel Temer
 
“Para Safatle, “os que querem comandar o país a partir de segunda-feira aproveitam-se do fato de o país estar em uma divisão sem volta. Eles governarão jogando uma parte da população contra a outra para que todos esqueçamos que, na verdade, são eles a própria casta política corrompida contra a qual todos lutamos. Diante da crise de um governo Dilma moribundo, outras saídas, como eleições gerais, eram possíveis. Elas poderiam reconstituir um pacto mínimo de encaminhamento de antagonismos. Mas apelar ao poder instituinte não passa pela cabeça de quem sempre sonhou em alcançar o poder por usurpação.”

Compartilhe:

“Lula grava mensagem e diz: ‘Vamos derrotar o impeachment e encerrar de vez essa crise'”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravou nesta sexta-feira, 15, em Brasília, uma mensagem ao País e aos deputados sobre a votação da admissibilidade da denúncia do impeachment pela Câmara. Segundo o Instituto Lula, que divulgou o vídeo, o ex-presidente passou a semana conversando com lideranças políticas ‘sobre a necessidade de garantir a democracia e não deixar um golpe acontecer’.

Em sua mensagem, Lula reafirma a confiança na vitória da democracia no domingo: “Vamos derrotar o impeachment e encerrar de vez essa crise”. E anuncia que a partir de segunda-feira, independente de cargos, estará empenhado, junto com a presidente Dilma, para que o Brasil tenha um novo modo de governar. “Nessa próxima etapa, vou usar minha experiência de ex-presidente para ajudar na reconstrução do diálogo e unir o país”

Compartilhe:

Impeachment: Reale Júnior diz que golpe é mascarar situação fiscal do país

“Furtar um bocado de dinheiro é muito menos que furtar a esperança de futuro”, completou o jurista. Para Reale Junior, a redução de salários devido à inflação e o desemprego são um resultado das chamadas “pedaladas fiscais”. Ele afirmou que é “mentira” que outros governos tenham adotado a mesma prática, e acusou o governo de fazer investimentos para mostrar na campanha eleitoral em vez de reduzir gastos e parar de intervir nos preços.

Compartilhe:

Aprovar o impeachment é violentar a democracia, diz Cardozo

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, disse nesta sexta-feira (15), em seu pronunciamento no plenário da Câmara, que, se o relatório pela abertura de impeachment for aprovado, será configurada ruptura institucional e violência contra a democracia

Citando o ex-presidente da Câmara e da Assembleia Constituinte, Ulysses Guimarães, o advogado-geral da União, disse que, “se o voto do povo for tirado, o povo terá sido colocado na periferia da história, e a história jamais perdoará”.

E afirmou que qualquer governo que assumir nessas condições não terá legitimidade perante a população.

Compartilhe:

CPT lançará o relatório Conflitos no Campo Brasil 2015 em Marabá

Acontecerá hoje, às 14:00hs, na chácara da diocese, o lançamento do caderno de conflitos no campo da CPT referente ao ano de 2015. É a primeira vez que o lançamento ocorrem em Marabá.

 

É a 31ª edição do relatório que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, neles inclusos indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais.

 

Assassinatos em conflitos no campo explodem em 2015

O relatório de 2015 destaca o maior número de assassinatos em conflitos no campo dos últimos 12 anos, 50 assassinatos, 14 a mais que no ano anterior, quando foi registrado o assassinato de 36 pessoas.

 

47 destes assassinatos ocorreram no contexto de conflitos por terra, 1 em conflitos trabalhistas e 2 em conflitos pela água

Compartilhe: