MARABÁ: PROFESSOR DE ESCOLINHA DE FUTEBOL É PRESO ACUSADO DE ESTUPRO DE VULNERÁVEL

O professor Bira Ramos, escolinha de Futebol Camisa 10, foi preso na manha desta terça feira. Segundo a delegada Ana Paula da (Data)Divisão de Atendimento ao Adolescente, ele foi acusado por duas vitimas de estupro de Vulnerável. Segundo a policial, a denuncia foi relatada na delegacia, a cerca de dois meses. A delegada informa que a prisão preventiva foi decretada pela Vara criminal do fórum de Marabá. A policia deve cumprir hoje dois mandatos de busca e apreensão com prisã de acusados de estupro de vulnerável. Ana Paula afirma que este mês o foco da delegacia e combater os crimes de estupros na cidade

Compartilhe:

MARABÁ: HOMENS ENCAPUZADOS INVADEM HOSPITAL MUNICIPAL E MATAM ACUSADOS DA MORTE DE SARGENTO DA PM

Sargento Rak Rodrigues ao lado dos filhos e Esposa
O sargento marcos Rak Rodrigues faleceu ontem ao dar entrada no hospital municipal de Marabá, ele foi baleado na troca de tiros com bandidos na folha 22 Nova Marabá. Os dois elementos envolvidos no tiroteio saíram baleados e foram internados no hospital municipal, após esse episodio homens encapuzados invadiram HMM, dominaram os policiais que faziam segurança no local, fizeram pessoas de refém, e em seguida mataram os envolvidos na morte do sargento da PM a golpes de faca na enfermaria. O coronel Fialho do 4º batalhão da polícia informou que a policia civil investiga o caso, e ainda não é possível dizer se há ligação da morte dos bandidos no HMM, com a morte do sargento.

 

Compartilhe:

assaltantes do Basa em Rurópolis são mortos em confronto com a PM

Quatro dos oito homens acusados de assaltar a agência do Basa (Banco da Amazônia) em Rurópolis, na semana passada, tombaram mortos em um confronto hoje de manhã com policiais da PM.

A troca de tiros ocorreu, segundo o coronel Héldson Tomazo, comandante regional da PM, na vicinal (estrada) da Cachoeira, cerca de 20 km da área urbana de Rurópolis. Os corpos dos assaltantes já estão na cidade.

Compartilhe:

Deputados paraenses que votaram Sim e Não

Dos 17 deputados federais do Pará, 10 votaram a favor do Impeachment, 6 contra a uma abstenção.

Pará
Sim (10 deputados)
Arnaldo Jordy (PPS)
Delegado Éder Mauro (PSD)
Francisco Chapinha (PTN)
Hélio Leite (DEM)
Joaquim Passarinho (PSD)
José Priante (PMDB)
Josué Bengtson (PTB)
Júlia Marinho (PSC)
Nilson Pinto (PSDB)
Wladimir Costa (SD)

Não (6 deputados)
Beto Faro (PT)
Edmilson Rodrigues (Psol)
Elcione Barbalho (PMDB)
Lúcio Vale (PR)
Simone Morgado (PMDB)
Zé Geraldo (PT)

Abstenção (1 deputado)
Beto Salame (PP)

Beto Salame filou-se ao PP recentemente, oriundo do PROS. [Na votação de ontem, ele optou pela abstenção].

Ele havia assumido a presidência estadual do PP em março. O presidente nacional da legenda, senador Ciro Nogueira (PI), diz que o deputado já havia sido alertado que o partido havia fechado questão em torno do assunto e que ele poderia ser punido caso fosse de encontro à decisão partidária.

Menos de 24 horas após o fim da votação da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, o PP começou a punir os parlamentares que se posicionaram contra a orientação do partido de votar pelo afastamento da petista. A informação é do site Brasil247.

A degola começou pelo Pará, onde o deputado federal Beto Salame perdeu a  presidência estadual da legenda.

Compartilhe:

MARABÁ:Vacinação contra a gripe começa quarta feira 20

A campanha de vacinação contra a gripe terá início hoje (18), em 81 municípios paraenses. A imunização nacional está prevista para começar no próximo dia 30. Porém, em alguns estados, como o Pará, a ação foi antecipada em função do aumento dos casos da gripe A, causada pelo vírus H1N1.

Entre os municípios que iniciarão a campanha de vacinação nesta segunda-feira estão ,Santarém, Altamira, Cametá, Conceição do Araguaia, Belém e demais municípios da região metropolitana. Nos demais municípios, a vacina deve chegar até terça-feira (19).

Em Marabá segundo a Coordenadora do setor de imunização (SMS) secretária municipal de saúde, a vacinação inicia na quarta feira dia 20 nas salas de vacinação dos postos de saúde.Foram enviadas ao municipio 53 mil doses. E serão vacinados o grupo que tem prioridade mais suscetível às gripes, formado por gestantes, crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos, puérperas, trabalhadores de saúde das áreas pública e privada, pessoas com mais de 60 anos e povos indígenas.

Ainda serão vacinados por primeiro os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas e detentos, além de funcionários do sistema penitenciário. Os sintomas da gripe são febre, tosse ou dor na garganta, além de dores na cabeça, musculares e nas articulações.

Compartilhe:

Trabalhadores disparam contra avião em Marabá

Um avião que transportava participantes de um leilão, do Maranhão até a cidade de Marabá, no sudeste paraense, foi recebido a tiros na tarde desse domingo (17). Ninguém ficou ferido.
De acordo com o Major Wilson, subcomandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, o ataque foi realizado por trabalhadores do Movimento Sem Terra (MST) assentados próximos a fazenda Cedro.
“Esse avião trazia os participantes do leilão e pousou na pista da fazenda Cedro. Os trabalhadores estão no assentamento Helenira Rezende, bem próximo ao local. Quando o avião pousou, ocorreram os disparos”, disse o subcomandante.
Ainda segundo o militar, a fazenda está sob litígio e o ataque nada tem a ver com a votação do impeachment que acontece em Brasília.
A fazenda Cedro já foi alvo de diversas invasões ocorridas nos últimos meses.
(DOL)

Compartilhe:

Jean Wyllys cospe em Jair Bolsonaro após votar

Após seu voto, ele foi até Bolsonaro que havia votado antes. O deputado Jean Wyllys, do PSOL, votou não ao impeachment e disse em seu discurso que está ‘constrangido de participar de uma farsa conduzida por um ladrão e apoiada por torturadores e analfabetos políticos’. Após seu voto, ele foi até Bolsonaro que havia votado antes e teria cuspido contra o colega. Jair Bolsonaro fez referência e celebrou a ditadura militar no momento de seu voto. Wyllys se manifestou sobre o episódio em sua página na internet. “Depois de anunciar o meu voto NÃO ao golpe de estado de Cunha, Temer e a oposição de direita, o deputado fascista viúva da ditadura me insultou, gritando “veado”, “queima-rosca”, “boiola” e outras ofensas homofóbicas e tentou agarrar meu braço violentamente na saída. Eu reagi cuspindo no fascista. Não vou negar e nem me envergonhar disso. É o mínimo que merece um deputado que “dedica” seu voto a favor do golpe ao torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-CODI do II Exército durante a ditadura militar. Não vou me calar e nem vou permitir que esse canalha fascista, machista, homofóbico e golpista me agrida ou me ameace. Ele cospe diariamente nos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Ele cospe diariamente na democracia. Ele usa a violência física contra seus colegas na Câmara, chamou uma deputada de vagabunda e ameaçou com estuprá-la. Ele cospe o tempo todo nos direitos humanos, na liberdade e na dignidade de milhões de pessoas. Eu não saí do armário para o orgulho para ficar queto ou…

Impeachment de Dilma ainda precisa passar pelo Senado; saiba como vai funcionar

Os senadores irão decidir se aceitam o processo de impeachment de Dilma Rousseff Fábio Pozzebom/Agência Brasil   Com o sinal verde dado neste domingo (17) pela Câmara dos Deputados para abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o futuro do mandato presidencial está agora nas mãos dos 81 senadores. Nesta segunda-feira (18), o processo será enviado ao Senado e no dia seguinte (19) lido no plenário da Casa. Ainda na terça-feira, os líderes partidários deverão indicar os 42 parlamentares que vão compor a comissão que analisará o assunto no Senado, com 21 titulares e 21 suplentes. A comissão tem prazo de 48 horas para eleger o presidente e o relator. Por causa do feriado de 21 de abril, nesta quinta-feira, isso deverá ocorrer somente na segunda-feira (25). Os integrantes da comissão especial serão definidos conforme a proporcionalidade dos partidos ou dos blocos partidários. A partir daí, o colegiado terá dez dias para apresentar um relatório pela admissibilidade ou não do processo de impeachment. O que ainda não está claro é se são dias corridos ou dias úteis. O parecer será votado na comissão e independentemente do resultado também será apreciado pelo plenário do Senado. Em ambos os casos, a votação será por maioria simples. Afastamento Caso aprovada a admissibilidade do processo pelo Senado, o que deve ser decidido entre os dias 10 e 11 de maio, a presidenta Dilma Rousseff será notificada e afastada do cargo por um prazo máximo de 180 dias, para que os senadores concluam o processo. O vice-presidente da República, Michel Temer, assume o…

Governo admite derrota na Câmara, mas diz que pode reverter situação no Senado

Derrota é provisória, e situação pode ser revertida, diz José GuimarãesFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), acaba de admitir a derrota do governo na votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Segundo Guimarães, a derrota é “provisória”, e o governo tem ainda a chance de reverter a situação no Senado com a ajuda das ruas. Perdemos porque os golpistas foram mais fortes. Reconhecemos a derrota, mas de cabeça erguida. Estamos firmes, e este país vai se levantar contra esses golpistas que não têm voto, e muito menos condições de governar o país”, disse o líder do governo. Guimarães adiantou que a estratégia dos governistas será, em um primeiro momento, concentrar esforços no Senado, e, com a ajuda do ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, acionar também o Judiciário. “Os golpistas venceram aqui na Câmara, mas a luta continua nas ruas e no senado, que pode corrigir essa ação dos golpistas que foram capitaneados por aqueles que não têm autoridade moral para falar em ética”, afirmou Guimarães. Para o deputado, reconhecer essa derrota provisória não significa dizer que a luta terminou. “A guerra não terminou. Vamos agora discutir o mérito no Senado Federal.” “Nossas expectativas são de que o país se levante e continue a lutar. Não somos de recuar, ou nos abater por esta derrota momentânea. As ruas estão conosco e temos condições de virar o jogo no Senado. O mundo inteiro começa a se mobilizar. Não é possível aprovar impedimento de…