Governo acaba com programa Farmácia Popular em 2016

Corte no orçamento vai afetar política pública que garantia desconto de 90% de desconto em remédios de uso contínuo

O aperto nas contas vai atingir em cheio um dos programas prediletos da classe média na área de saúde, o Aqui Tem Farmácia Popular. A proposta orçamentária para 2016 encaminhada para o Congresso prevê repasse zero para a ação, que neste ano receberá R$ 578 milhões. As informações são da Gazeta do Povo

Criado em 2006, o programa permite a compra em farmácias credenciadas pelo governo de medicamentos para rinite, colesterol, mal de Parkinson, glaucoma, osteoporose, anticoncepcionais e fraldas geriátricas. Os descontos chegam a 90%. Com a redução a zero os recursos, na prática essa política deixa de existir.

Pela proposta encaminhada pelo governo ao Congresso, ficam mantidos o braço do programa chamado de Saúde Não Tem Preço (em que o paciente não precisa pagar na farmácia remédios para diabetes, hipertensão e asma) e as unidades próprias do Farmácia Popular. Continue lendo

Compartilhe:

Marabá: Águia leva goleada do Fortaleza e cai pra Série D

Os marabaenses e os torcedores do sudeste e sul do Pará choram a queda do Águia de Marabá para a Série D. Sem dinheiro e sem estádio, o Azulão não conseguiu formar um elenco competitivo e além de ser goleado diante do Fortaleza, por 4 a 1, na noite deste domingo, o time do João Galvão, se despede da Série C.

Pior de tudo é que o Águia Marabaense enfrenta a partir desta terça-feira, a disputa na segundo divisão do Parazão, campeonato sem público e sem renda. Se não conseguir se classificar para a elite paraense o Azulão poderá fechar as portas e nem disputar a Série D ano que vem.

Compartilhe:

Dilma Rousseff sanciona reforma política com a janela e 6 meses para filiação

O Diário Oficial da União deve publicar na segunda-feira, 28, a sanção parcial da presidente Dilma Rousseff à reforma política aprovada na Câmara Federal, válida já para as eleições municipais de 2016. 

Líderes da base aliada foram comunicados que a presidente vetou o financiamento empresarial de campanhas políticas, mas manteve a janela de 30 dias para mudança de partido e a diminuição de 1 ano para 6 meses do prazo para filiação partidária de quem queira disputar as eleições. 

A janela, ou seja, a permissão para mudança de partido sem o risco de perda de mandato vigorará no mês de março.

Compartilhe:

Dilma na linha

Radar, Veja
Há algumas semanas, o telefone de Michel Temer tocou no Palácio do Jaburu. Avisado de que era a presidente na linha, o vice, que ainda era o articulador político do governo, pegou o aparelho e foi surpreendido por gritos ininteligíveis. Com sua calma característica, Temer desligou o telefone sem dizer palavra. Dilma voltou a ligar, bem mais calma. Temer explicou: “Desculpe, presidente. Alguém estava gritando muito aí do lado e quase não dava para ouvir o que a senhora dizia”.

Compartilhe:

Todos por um

Painel, Folha de S. Paulo

Na presençaça do vice Michel Temer, os ministros peemedebistas Helder Barbalho (Pesca), Eliseu Padilha (Aviação Civil) e Henrique Alves (Turismo) selaram um pacto de abandonar os postos caso a reforma de Dilma Rousseff não mantenha os três na Esplanada. A saída da trinca significaria o rompimento com os aliados mais próximos do vice, que preside o PMDB, às vésperas do congresso do partido, marcado para novembro, que pode decidir pelo rompimento com o governo.

Compartilhe:

Programa do PMDB surpreende Planalto

O governo se surpreendeu com o tom de ultimato dado pelo programa do PMDB, exibido em rede nacional de rádio e TV, na quinta-feira. No momento em que a presidente Dilma Rousseff negocia a ampliação da influência do PMDB na equipe, o partido diz que o Brasil não aguenta mais o aumento da carga tributária e afirma ser preciso apontar um rumo para o País não ficar “à deriva”. As informações são do Estadão.

A propaganda foi ao ar quase duas horas depois do embarque de Dilma para Nova York, onde ela vai participar da Assembleia Geral da ONU. Em conversas reservadas, dois ministros do PT avaliaram que o vice-­presidente Michel Temer apareceu no programa como uma alternativa para assumir o poder, em caso de impeachment de Dilma.

Sob o mote “É hora de reunificar os sonhos”, a peça teve Temer como personagem central. Na tela, ministros, governadores, senadores e deputados do PMDB se revezaram em críticas ao governo e à falta de “propostas claras”. A gravidade da crise política e econômica foi o pano de fundo. Continue lendo

Compartilhe:

MISSA EM HOMENAGEM VAVILSON SANTOS SERÁ CELEBRADA NESTE SÁBADO PELA MANHA

Morreu na manhã deste sábado às 6h Vavilson Santos, 75, ex-integrante do grupo Brasas 6, uma das primeiras bandas musicais de Marabá. Vavilson Santos, além de músico,era empresário no setor de cozinha industrial, atuou como radialista na Rádio Itacaiúnas no programa Tarde Nordestina,e na Rádio Clube de Marabá em programa matinal.Pernambucano da cidade de Bezerros, veio para participar de um show em 1972 em um clube tradicional na cidade na época a Acrobe e desde então se apaixonou por Marabá e adotou como sua cidade. Segundo o filho Vavilson Junior a causa da morte foi complicações no coração que ele já vinha lutando há muito tempo contra a Hipertensão. A situação se agravou na madrugada de hoje.Ele foi levado ainda com vida para o hospital Climec, não resistiu e faleceu. Velório esta ocorrendo desde as 14 horas no salão paroquial da igreja da Folha 16. Neste sábado  será celebrada a missa as  horas da manha,na Paróquia da F 16 em homenagem ao ex musico do Brasas seis, em seguida o corpo no cortejo,segue para sua ultima morada na F29,no cemitério da Saudade Nova Marabá.

Compartilhe:

Morre mais um integrante dos Brasas 6, primeiro grupo musical de Marabá

Vavison ao lado do amigo Jornalista Hiroshi Morreu na manhã deste sábado às 6h Vavilson Santos, 75, ex-integrante do grupo Brasas 6, uma das primeiras bandas musicais de Marabá. Vavilson Santos, além de músico, atuava no setor de cozinha industrial, atuou como radialista na Rádio Itacaiúnas no programa Tarde Nordestina, passou  um temporada  pela  Radio Clube de Marabá,em programa Matinal.Vavilson tinha uma legião de amigos na cidade, pois gostava de curtir a vida, tocar violão e apreciava a culinária nordestina. Pernambucano da cidade de Bezerros, veio para participar de um show em 1972 em um clube tradicional na cidade na época a Acrobe e desde então se apaixonou por Marabá e adotou como sua cidade. Ele deixa na orfandade os filhos Vavilson Junior, Quitéria e Valdirene e a viúva Marlene Santos com quem se casou e viveu ao seu lado em toda a sua vida. Segundo o filho Vavilson Junior a causa da morte foi complicações no coração que ele já vinha lutando há muito tempo contra a Hipertensão. A situação se agravou na madrugada de hoje. Ele foi levado ainda com vida para o hospital Climec, não resistiu e faleceu. O corpo será velado na Maçonaria da Marabá Pioneira. Do Grupo Brasa 6 ainda estão vivos o músico Bento, o Bentinho, e Divino. Vavilson deixa saudades. Este radialista teve a alegria de trabalhar ao seu lado e deixo aqui um trecho da letra da música que ele gostava muito: Quem me levará, sou eu de Dominguinhos. “Amigos a gente encontra O mundo não é…