REINTEGRAÇÃO DE POSSE:Justiça determina saída de sem tetos da ALPA mas movimento continua mantendo ocupação da área.

A Justiça da Vara Cível de Marabá deu um prazo de 24 horas para que os invasores sem terra do terreno da Aços Laminados do Pará, Alpa, deixem o local. O prazo para termina agora pela manhã. Ontem (18) pela manhã um Oficial de Justiça acompanhado da Polícia Militar e representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Semma, foram até a área da Alpa para entregar aos ocupantes o documento de reintegração de posse.
Segundo o comandante a policia militar, Coronel Sergio Fialho, para  cumprir o mandado judicial,  a policia  militar vai fazer um planejamento junto a  força de missões  especiais  para fazer a retirada  dos  invasores de forma tranquila e pacifica.Por enquanto eles continuam ocupando a área. um dos principais problemas na invasão foi os sem teto adentrar em uma área que seria de floresta de preservação ambiental. Homens do Grupamento Tático Operacional estão  no local.

Compartilhe:

XI jornada nacional de lutas da agricultura familiar:continua o protesto dos trabalhadores na ferrovia Carajás

Fetraf Pará permanece com ocupação dos trilho da vale em Marabá, oportesto iniciou na madrugada desta segunda feira, e faz parte da Jornada de Luta em todo Brasil. O movimento só sairá do local após negociação da pauta, os agricultores familiares fazem manifestação pacífica nos s trilhos da ferrovia Carajás .Os agricultores protestam contra o corte de orçamento no ministério da fazenda, reivindicam melhores condições de vida pro campo e mais reconhecimento para agricultura familiar. A expectativa é negociar a pauta com o governo
De acordo com a Coordenadora Estadual da Fetraf, Viviane Oliveira, representantes da mineradora Vale foram até o local para tentar mediação para liberarem a passagem do trem, mas não houve acordo.
“Não temos nenhum tipo de intenção de liberar o trilho para passar o trem. Enquanto o governo não nos ouvir a gente não sai”, afirma Viviane.

Compartilhe:

PT vence eleição de Igarapé-Miri

Conforme previu a pesquisa eleitoral da Doxa, o novo prefeito de Igarapé-Miri é Roberto Pina, do PT, em aliança com PV, PCdoB e PROS,  na Coligação Igarapé-Miri no Rumo Certo. Agora, terá um ano e meio de mandato para atender as demandas urgentes do conturbado município. A vitória foi bem apertada: 35,82% dos votos contra 34,13% do segundo colocado, Ronélio Antonio Quaresma(PMDB). Em um universo de 45.401 eleitores, o eleito teve 11.784 votos. Ronélio ficou com 11.227 votos, Joca Pantoja 7.939 e Darlene Pantoja 1.948. A abstenção foi altíssima: 11.312 se recusaram a ir às urnas. Nulos, 795; e brancos, 391 votos.

 

Compartilhe:

SEM EDUCAÇÃO: GREVE DOS PROFESSORES DA REDE ESTADUAL E PARTCULAR

Nem terminou ainda  a greve dos professores da rede pública, e agora os professores das escolas particulares, em luta por aumento de 30% dos salários, anunciam estado de greve. Com as mensalidades altíssimas – a menor no valor de um salário mínimo -, é inconcebível que seus educadores sejam mal remunerados. O Ministério Público Estadual, Ministério Público do Trabalho, Conselho Estadual de Educação, OAB e MEC, assim como todas as entidades e órgãos encarregados da fiscalização do setor, devem ficar atentos e coibir abusos. Não dá para repassar esse custo aos alunos.

 

Incoerências na Lei de Diretrizes e Bases da Educação nacional, a LDB (Lei nº 9.394) permitem que alguns princípios válidos para o ensino público (gestão democrática, valorização dos profissionais da educação, padrão mínimo de qualidade) não se estendam às escolas privadas, que, no entanto, usufruem o direito de abocanhar uma parte dos recursos públicos, sem falar nas isenções fiscais de que gozam há muito tempo. Em síntese, quando os recursos públicos estão em jogo, as escolas privadas querem se equiparar às públicas. O que só confirma a secular relação ambígua entre o estatal e o privado, mais intensa ainda por conta da tradição patrimonialista brasileira, em que os governantes acham natural tratar a coisa pública como propriedade pessoal, privada.

 

Compartilhe:

MARABÁ: AGRICULTORES LIGADOS A FETRAF OCUPAM FERROVIA CARAJÁS.

A ferrovia Carajás foi ocupada ontem a noite por cerca de 1500  famílias  ligadas a FETRAF  federação da agricultura  familiar, no perímetro urbano,no KM 7  próximo ao viaduto.Segundo Francisco carvalho o (Chico da Cib ) o protesto  faz  parte da jornada de luta  da agricultura  familiar, que ocorre  em todos  país de  18 a 20 de maio,com o tema,agricultura familiar quem não vive dela ,depende dela para viver.A pauta  de reivindicação  é crédito, investimentos  do programa luz  para todos,  e aumento  no valor do orçamento. Chico da Cib afirma que a ferrovia só será liberada, com  mediante  a presença de representantes do MDA ,INCRA  para negociar com movimento.O presidente da FETRAF disse o movimento escolheu a  ferrovia ,porque  provoca menos impacto Para população que precisa se locomover

Compartilhe:

CBF nega que tenha “vendido” a Seleção

A Assessoria de Imprensa da CBF emitiu nota oficial na tarde deste domingo, rebatendo as denúncias do jornal “O Estado do São  Paulo” a respeito do contrato firmado com a empresa ISE de exclusividade para promoção de jogos da Seleção Brasileira. Abaixo, a íntegra da nota: Reportagem publicada neste domingo no jornal Estadão levanta infundadas suspeitas de irregularidades no tocante ao contrato que a CBF celebrou com a empresa ISE, que integra o Grupo Dallah All Baraka. A CBF, ao mesmo tempo em que repudia, com veemência, tais insinuações maliciosas, aproveita para ressaltar a lisura dessa contratação, esclarecendo o seguinte: 1 – Ao contrário do que diz a reportagem do Estado de S. Paulo de hoje, (17/05/2015), a CBF não “vendeu” a Seleção Brasileira, hipótese ridícula, manchete que não se  sustenta em nenhuma evidência e somente se explica pela necessidade do jornalista Jamil Chade de buscar a notícia fácil, que gera escândalos. 2 – A CBF informa também que não leiloou a Seleção Brasileira como diz a reportagem do jornal, outra hipótese infantil, tradição das reportagens deste repórter. O tal contrato citado pelo jornalista não é secreto e em nenhum momento tem influência sobre convocações de atletas e, tampouco, traz prejuízo técnico para a seleção. A matéria, inclusive, pode ser chamada de requentada, já que vários dados deste contrato já foram divulgados, inclusive no próprio jornal. 3 – A CBF afirma que os critérios de escolha dos convocados para os jogos da Seleção Brasileira são e serão, sempre, técnicos. Jogarão e jogaram, sempre, os melhores jogadores em…

Morre aos 81 anos o ator Elias Gleize

Morreu na tarde deste sábado (16) o ator Elias Gleizer. Ele estava internadono Hospital Copa D’Or, em Copacabana, no Rio, desde 6 de maio e morreu por falência circulatória em decorrência de um trauma. Após sofrer uma queda, ele teria quebrado cinco costelas e perfurado o pulmão. Seu quadro, então, acabou se agravando. As informações foram confirmadas através de comunicado enviado pela TV Globo.

A família ainda não informou sobre o horário e local do velório. O ator não era casado e não tinha filhos. Ele fez sua última aparição pública na festa de 50 anos da emissora, no final de abril. Elias Gleizer, que era judeu, nasceu em 4 de janeiro de 1934, em São Paulo, filho de imigrantes judeus poloneses, de pai sapateiro e mãe dona de casa. Seu nome de batismo, segundo ele, sempre gerava problemas na hora da pronúncia.

Elias Gleizer começou a carreira na TV Tupi, nos anos 1950, onde fez mais de 20 novelas. Na Globo, Gleizer iniciou em 1984, a convite de Walther Negrão, para atuar em “Livre para Voar”, e se destacou em várias novelas e minisséries como “Direito de Amar” (1987), “Fera Radical” (1988), “Tieta” (1989), “Explode Coração” (1995) e “Chiquinha Gonzaga” (1999). Seus mais recentes trabalhos, além da participação em “Boogie Oogie”, foram “Flor do Caribe” (2013), “Terra Nostra” (1999), “Sinhá Moça” (2006) e “Passione” (2010).

Compartilhe:

Empresas têm controle de convocações da Seleção, revela jornal

A maioria dos torcedores pelo menos imagina que há mais critérios para a convocação de atletas à Seleção Brasileira do que simplesmente seu desempenho dentro de campo. Destaque internacional dos jogadores, marketing e outras variáveis fazem parte da realidade do futebol. Mas, neste sábado, foram revelados contratos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com empresas que podem penalizar financeiramente a entidade caso os nomes de maior destaque, como Neymar, não sejam chamados para amistosos do time canarinho. Conforme informou o jornal O Estado de S. Paulo, a CBF tem vínculos com as empresas International Sports Events (ISE) e Pitch International, que pagam à entidade para organizar amistosos da Seleção, mas, como contrapartida, exigem que as convocações sejam enviadas a elas com 15 dias de antecedência. Caso os atletas do “Time A” (com mais apelo de marketing, condições técnicas e reputação) não estejam na relação e sua ausência não seja justificada por laudo médico, os grupos podem multar a Confederação em 50% da cota paga por amistoso, cujo valor total é de aproximadamente R$ 3,1 milhões. Mesmo em caso de contusão de alguma das principais peças do grupo verde e amarelo, a CBF é obrigada, por contrato, a substituí-lo por algum atleta de nível similar nos critérios descritos acima. O contrato com a ISE, que contém as cláusulas citadas, tem duração estipulada até 2022, com prioridade de renovação de 90 dias. Sendo assim, os amistosos de preparação para as Copas do Mundo de 2018, na Rússia, e de 2022, no Catar, também serão explorados pelo grupo. O presidente…

Forças especiais dos EUA entram na Síria e matam líder do Estado Islâmico

Estado Islâmico é também conhecido pela crueldade nas suas execuções
Forças especiais americanas conduziram uma operação no leste da Síria que culminou com a morte de uma alta autoridade do autodenominado “Estado Islâmico” e a prisão de sua esposa – também envolvida com o grupo, informou o Pentágono. A operação, realizada na madrugada deste sábado, foi autorizada pelo presidente Barack Obama, na capacidade de comandante-em-chefe das Forças Armadas americanas.
O plano tinha como objetivo capturar Abu Sayyaf, descrito pelo Departamento de Defesa dos EUA como uma peça-chave no mecanismo de financiamento do “Estado Islâmico”. Ele tinha um papel militar e ajudava a dirigir os negócios do EI em transações de petróleo, gás e recursos ilícitos, afirmou o órgão em nota. Sayyaf e cerca de dez outros militantes morreram na troca de tiros. Nenhum soldado americano morreu no incidente, disse a Casa Branca. A mulher dele, Umm Sayyaf, descrita como cúmplice em “atividades terroristas” e possivelmente na escravização de uma jovem da etnia yazidi resgatada durante a operação, foi presa.

Ofensiva contra o EI

Obama autorizou o plano apesar do fraco apetite da opinião pública americana por operações de terra envolvendo soldados do país. No entanto, forças especiais podem ser mais facilmente mobilizadas para ações desse tipo, afirmou a correspondente da BBC em Washington Rajini Vaidyanathan.

Compartilhe: