CORDA DO 37º CÍRIO VEIO DA BAHIA E TEM 400 METROS DE EXTENSÃO

O maior símbolo do pagamento das promessas dos fiéis no Círio de Nazaré, a grande corda, chegou a Marabá na tarde desta terça-feira (3). A nova corda foi encomendada em Conceição do Coité, no estado da Bahia, possui 400 metros de extensão, 50 milímetros de espessura e pesa 522 quilos. A corda utilizada nos anos anteriores media 320 metros de extensão e tinha 48 milímetros de espessura.

Segundo Mauro Sousa, um dos coordenadores do 37º Círio de Nazaré em Marabá, a mudança foi necessária devidos ao desgaste da corda anterior, utilizada desde 2013.  “A outra já estava há alguns anos conosco, é tocada por quase um milhão de mãos e ocorre um desgaste. Trocamos também por questão de segurança”, afirma Mauro.

A corda, que tem um significado de fé para os fiéis, foi removida do caminhão pelos guardas da santa para uma grande caixa, onde ficará guardada até o dia da grande procissão, em 15 de outubro. “É como se fosse o cordão umbilical que nos interliga com Nossa Senhora”, declara Mauro Sousa.  Ela foi descarregada ao anexo ao Santuário de Nossa Senhora de Nazaré. (Jéssika Ribeiro/Diário de Carajás).

Fotos: Jéssika Ribeiro

Compartilhe:

Beto Salame recebe prefeitos do interior do Pará em busca de recursos para os municípios.

Projetos a executar para desenvolvimento do município. Pouco dinheiro nos cofres das prefeituras. Só os tributos arrecadados não são suficientes para tantas demandas. Um dos caminhos a percorrer  é o Congresso Nacional em busca de socorro. Prefeitos  confiam no poder que tem o deputado em conseguir verbas para drenagem,  asfaltamento, aquisição de máquinas pesadas,  ambulâncias, médicos, compra de remédios, construção de escolas, universidades, unidades de Saúde  e muitos outros benefícios para a população local.
Nesta confiança a prefeita de Acará, da microrregião de Tomé-Açu, no Nordeste paraeense, 66 km de Belém, e o prefeito de Xinguara, sudeste do Estado, 908 km da capital,  recorreram ao deputado federal  Beto Salame. Amanda Silva e Osvaldo Assunção (Osvaldinho) solicitaram a inclusão dos dois municípios com  emendas parlamentares para o próximo ano.
Com o seu empenho junto ao Governo federal já conseguiu beneficiar  mais de 60 municípios paraenses em menos  de três anos de mandato.  Exemplos mais recentes aconteceram na última sexta-feira, 29.  Beto Salame participou na Superintendência da Caixa Econômica Federal, na Nova Marabá, da assinatura de convênio de 1 milhão 742 mil reais para pavimentação  de ruas em  Novo Repartimento.  E o prefeito Jair  Martins assinou convênios na ordem de 295 mil reais para construção de uma quadra de esporte no município de Conceição do Araguaia, resultados de emendas parlamentares do deputado  marabaense.

Compartilhe:

MERCÚRIO INAUGURA FÁBRICA EM MARABÁ (PA) COM OPERAÇÃO EM TRÊS TURNOS E INVESTIMENTO DE R$ 100 MILHÕES

om alta demanda de produção, unidade gera 200 vagas de empregos diretos e indiretos;     Unidade de preparo de composto de borracha está em fase avançada de implantação e testes, representando investimento adicional ao projeto da fábrica;   A planta é a primeira a produzir correias transportadoras em toda a região Norte do Brasil, e atende indústrias de mais de 40 segmentos.         A Mercúrio, empresa brasileira que em 72 anos de existência se consolidou como líder no mercado de correias transportadoras, inaugurou, em 04/10, sua fábrica instalada no Distrito Industrial de Marabá (PA). Com investimento da ordem de R$ 100 milhões, a unidade é a primeira a produzir correias transportadoras no Norte do país e já opera em três turnos, devido à alta demanda de produção. Com a iniciativa, a empresa já criou 200 postos de trabalho na região, entre vagas diretas e indiretas. Para a inauguração oficial, a empresa receberá clientes, fornecedores, parceiros e autoridades. Após um período de aumento gradual de sua capacidade produtiva e calibramento de equipamentos, a fábrica de Marabá (PA) atinge pleno funcionamento. Com o rápido sucesso da operação, a empresa já está em fase avançada de implantação e teste de uma unidade de preparo de composto de borracha, que representa investimento adicional ao projeto original da unidade de Marabá (PA). “Nossa presença em Marabá, que já é sucesso, é fruto do comprometimento da empresa com objetivos estratégicos de longo prazo. É graças a essa visão de futuro e a um rígido planejamento que conseguimos superar desafios inerentes a projetos como…

Sicredi libera maior volume de financiamentos do Pronaf Investimento pelo 4º ano consecutivo

Instituição financeira cooperativa liberou R$ 672 milhões em 12.497 operações no Ano Agrícola 2016/2017 via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, com repasses do BNDES Pelo quarto ano consecutivo, o Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,5 milhões de associados e atuação em 21 estados brasileiros – foi reconhecido como o agente financeiro com o maior volume de operações de investimento contratadas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), desta vez no Ano Agrícola 2016/2017. A homenagem foi concedida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) durante o Fórum de Produtos Automáticos, realizado no dia 11 de agosto. No período, o Sicredi liberou 12.497 operações, totalizando mais de R$ 672 milhões. Em relação ao Ano Agrícola 2015/2016 – quando havia liberado 11.099 operações, somando R$ 567 milhões –, houve um crescimento de 18,5% no valor disponibilizado. “Nós acreditamos no agronegócio brasileiro, um dos setores que mais contribui para o PIB nacional. Por meio das cooperativas filiadas ao Sicredi, atuamos fortemente junto aos associados produtores rurais, liberando recursos de crédito rural e direcionados que viabilizam o seu negócio e beneficiam a comunidade, tendo em vista o desenvolvimento local e regional propiciado pelo cooperativismo de crédito”, destaca Antonio Sidinei Senger, superintendente de Crédito Rural do Banco Cooperativo Sicredi. Para o ano Plano Safra 2017/2018, o Sicredi estima disponibilizar aproximadamente R$ 13,2 bilhões para as operações de custeio, comercialização e investimento, e R$ 1,7 bilhão em operações de investimento com recursos do BNDES, projetando atingir mais de 195 mil…

Mães de pacientes do Oncológico Infantil participam de feira que estimula o empreendedorismo

As mães de pacientes do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo vão se reunir nesta quinta-feira, 5/10, para a segunda edição do “Canto da Empreendedora”, uma feira que oferece comidas, produtos de beleza e artesanato na recepção da unidade a partir das 9h. O “Canto da Empreendedora” é um momento de protagonismo das mães, que muitas vezes largam tudo para acompanhar o tratamento dos filhos contra o câncer. Durante a feira, elas podem mostrar o resultado de seu trabalho. Na primeira edição da feira. no último mês de setembro, o destaque ficou para a produção de alimentos. Foram vendidos bolos, pudins, tortas e biscoitos integrais. As guloseimas foram vendidas aos colaboradores e outros usuários da unidade gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa). A expectativa é que a segunda edição repita o êxito da primeira, na qual a produção de algumas mães foi vendida em cerca de 40 minutos. A diretora-geral do Hospital Oncológico Infantil, Alba Muniz, enfatizou a necessidade da retomada da vida ativa das mães. “Elas precisam crer que são mães cuidando de crianças com câncer, mas que continuam sendo mulheres produtivas”, disse. A coordenadora de Humanização do Oncológico Infantil, Paula Lima, explica que o grupo de mães desta edição é o mesmo que participou da primeira feira. “Queremos desenvolvê-las enquanto grupo para que o projeto se torne cada vez mais sólido”, contou. Compromisso A feira é o resultado prático do incentivo dado às mães durante o “I…

Pró-Saúde realiza I Workshop de Saúde do Idoso nesta quinta-feira, 5/10

Foto: Mill Queen/ Arquivo Pessoal)

Um casal de idosos completou 52 anos

Para sensibilizar a sociedade sobre a importância do cuidado humanizado para o envelhecimento saudável, a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, gestora do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), promoverá o I Workshop de Saúde do Idoso. O evento é gratuito e acontecerá no auditório da Câmara Municipal de Marabá, nesta quinta-feira, 5/10.

Durante a programação, os participantes serão orientados por médicos, nutricionistas, assistentes sociais e farmacêuticos sobre o tratamento e a prevenção das principais doenças na terceira idade. A iniciativa é uma das 50 ‘Ações do Bem’ promovidas pela Pró-Saúde em todo o Brasil para comemorar os 50 anos da entidade.

Atendimentos

Referência em atendimento de média e alta complexidades para 22 municípios da região, o Hospital Regional de Marabá atendeu 2.886 idosos de 2015 a agosto de 2017. A maioria  dos atendimentos a esse público é motivado por acidente vascular cerebral (AVC), acidentes de trânsito e doméstico e cirurgia eletiva nas especialidades de Cirurgia Geral (pedra na vesícula), Urologia (problemas de próstata), Oftalmologia (catarata) e Ortopedia (fratura de fêmur por queda).

Compartilhe:

Tecnologia assistiva abre um mundo de possibilidades para os deficientes

Talita Santos – Estagiária de Jornalismo A tecnologia assistiva consiste em recursos que promovem a independência da pessoa deficiente. Não é apenas ligada ao eletrônico ou digital, também está em meios analógicos como os óculos escuros e a bengala que é usada pela pessoa com cegueira, por exemplo. Os aplicativos de leitura em celular e relógios também são alguns dos artifícios que garantem maior mobilidade para a pessoa com deficiência. “O leitor de tela do celular sintetiza aquilo que eu tocar. Por exemplo, eu toco onde tem os ícones, vou passando o dedo e o leitor vai lendo para mim. Então se eu quero o WhatsApp, ele lê onde está e eu clico duas vezes para abrir. Graças aos aplicativos dele [do smartphone], tenho a possibilidade de executar algumas opções que sem a tecnologia assistiva não teria como”, diz o aluno do último ano de Pedagogia Daniel Massaneiro. A inclusão da pessoa deficiente no contexto acadêmico e social foi debatida durante o seminário Tecnologia Assistiva e Educação, realizado no mês passado na Uninter do polo CIC, em Curitiba. A coordenadora do polo e palestrante Karina Rodrigues explicou para os acadêmicos que participaram do evento sobre os recursos que podem ser utilizados para integrar as pessoas com deficiência. Daniel Massaneiro também participou do evento. Ele tem deficiência visual e apresentou aos demais algumas das tecnologias que utiliza a seu favor no dia-a-dia. Além disso, o aluno explicou de que maneira a tecnologia assistiva auxiliou no seu processo de aprendizagem. “A tecnologia assistiva possibilita mais autonomia e ajuda muito na educação. De algum jeito ele…

PF faz operação contra roubo de madeira de terra indígena do Pará

Polícia Federal no Pará deflagrou na manhã desta quarta-feira (4) a Operação Anhangá Arara, de combate à extração ilegal de madeira nobre na Terra Indígena (TI) Cachoeira Seca. De acordo com a PF, um grupo empresarial composto por familiares fazia a extração em áreas protegidas e exportava para outros continentes. O dano ambiental estimado é de cerca de R$ 900 milhões. Foram expedidos pela Justiça Federal de Altamira, no sudoeste do Pará, 10 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor, 11 mandados de sequestro de bens e valores e 6 mandados de busca e apreensão em empresas e casas dos investigados, além da suspensão das atividades das empresas envolvidas no esquema. Cerca de 40 policiais federais participam da operação nas cidades de Uruará, Placas, Rurópolis, Santarém, Castelo dos Sonhos e Altamira, no Pará; em Porto União (SC), Curitiba (PR) e União da Vitória (PR). Investigações De acordo com a PF, a investigação começou após relatório da Operação Cachoeira Seca, realizada pelo Ibama, que apontou que a TI Cachoeira Seca estava sendo alvo de exploração ilegal de madeira. Durante as averiguações foi identificado um grupo empresarial composto por familiares, cujo o patriarca era o responsável pela coordenação da extração ilegal de madeira em áreas protegidas e por escoar a madeira para as empresas do grupo familiar. Para burlar a fiscalização e dar teor legal à madeira, o grupo fraudava créditos florestais por meio de inserção de dados falsos no Sisflora, além de utilizar Planos de Manejo Florestal de fachada. Depois a madeira…

FEMINICÍDIOS: ADVOGADA CRITICA LETARGIA DO GOVERNO DO ESTADO EM PROTEGER AS MULHERES

A conselheira representando a OAB Subseção em Marabá no Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Claudia Chini, também vai participar da manifestação contra a recente onda de violência que tem resultado em diversos feminicídios na cidade. O ato acontece nesta quinta-feira (5) com concentração em frente à antiga Câmara Municipal na Praça Duque de Caxias na Velha Marabá. O que causa mais preocupação para a advogada é que os dados estatísticos que começam a ser levantados atualmente pela Deam – Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher, não condizem com a realidade do município. “Esses dados não refletem a nossa realidade, uma vez que nós temos as mulheres da zona rural, que não tem policiamento que não tem estrutura para dar suporte”, explica. Ela reclama também que desde o ano de 2013, o Condim já havia solicitado ao Presidente da Alepa, Márcio Miranda, que se encontrava em Marabá por conta da Alepa Itinerante, um pedido de mudança da Delegacia da Mulher por conta da localização e da falta de estrutura. “É um local de difícil acesso para a população, não tem plantão, não funciona à noite, nem feriado e nem final de semana”, explica Claudia Chini. “Nós temos o desprazer de sabermos que o Governo do Estado através da Secretaria de Segurança Pública tem negligenciado seu papel junto a segurança da população de Marabá ao ponto de a delegada (Deam) estava há 40 dias sem escrivã para dar suporte, sem estrutura alguma”, disse. Complementando ainda que a própria delegada foi escrivã, acompanhou perícia, foi Assistente…

Cerca de 160 mil famílias estão endividadas no Pará

Cerca de 160 mil famílias estão endividadas no Pará. É o que mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor Paraense (Peic) realizada pela Fecomércio-PA em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), referente a setembro deste ano. O estudo foi realizado por amostragem em Belém. O resultado foi apresentado no último dia 26, no Sindicato dos Lojistas do Comércio de Belém (Sindilojas), durante a XVIII Reunião do Grupo Interinstitucional de Estudos e Análise Conjuntural (Geac), promovida pela Fundação de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) em parceria com a Fecomércio-PA, Sindilojas, entre outras entidades. A apresentação do Boletim do Comércio Varejista e Serviços foi feita pela assessora econômica da Fecomércio-PA, Lúcia Cristina Lisboa. De acordo com o levantamento, houve uma redução no número de famílias endividadas em comparação com o mesmo período de 2016, quando 195 mil famílias estavam endividadas no Pará. Contudo, Lúcia ressalta que, embora o endividamento tenha reduzido, a inadimplência das famílias paraenses permanece alta. Isso quer dizer que, das cerca de 160 mil famílias endividadas – que realizaram compras parceladas -, 140 mil estão inadimplentes, ou seja, estão com contas em atraso. Desse total, 134 mil informaram na pesquisa não ter condições de quitar as contas em atraso. “Houve redução da taxa de endividamento. Significa dizer que os consumidores estão comprando menos em função do nível do emprego, também por cautela devido à crise econômica. Apesar dessa redução, a inadimplência permanece alta”, detalha a economista. SETORES Segundo a especialista, os setores mais afetados pela…